Grupo de moradores de Epitaciolândia e Brasileia protestam solicitando a construção de ponte

O acesso chegou a ficar fechado por alguns minutos. Manifestantes reclamam dos transtornos que enfrentam diariamente para atravessar a ponte.

Um grupo de moradores e comerciantes de Brasileia e Epitaciolândia criaram o movimento SOS Ponte, para pedir a construção de uma nova ponte entre os municípios da fronteira. Eles fizeram um ato para chamar a atenção de políticos nesta sexta-feira (16).

O acesso chegou a ficar fechado por alguns minutos, mas logo foi liberado.

O secretário estadual de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Seinfra), Thiago Caetano, disse que o compromisso firmado com o grupo foi de revitalizar a ponte antiga e depois lançar licitação para construção de uma nova.

“Já revitalizamos a ponte antiga, tanto a parte do pavimento quanto a parte de estética e pintura. Estamos tentando salvar o contorno viário e soltar a licitação, logo em seguida vamos trabalhar o novo projeto, adiantar o que tiver no DNIT”, garantiu.

Os manifestantes reclamaram dos transtornos que enfrentam diariamente para atravessar a ponte José Augusto, que liga os municípios de Brasileia, Epitaciolândia e Assis Brasil e também os países Bolívia e Peru. Isto porque a ponte só tem uma mão e os motoristas que querem atravessar para o outro lado precisam esperar.

“Essa ponte tem 37 anos, só passava carro de boi, hoje liga vários municípios e dois países, para uma só mão. No horário de pico temos que esperar 40 minutos para conseguir passar. Cria um transtorno. Queremos ter o direito de ir e vir”, reclama o comerciante Aurimar Braga.

No cartaz, o grupo colocou fotos de políticos como forma de pressionar os parlamentares a destinarem emendas para a construção da ponte. O ato, segundo os manifestantes, não tem ideologia política. Do G1 Acre