Operação contra membros do Bonde dos 13 e PCC ocorre dentro do presídio de Rio Branco

Uma mega operação de revista ocorre desde a madrugada desta quinta-feira, 15, no presídio Francisco de Oliveira Conde, o maior do Acre.

O foco da operação são pavilhões dominados pela organização criminosa PCC e a facção local Bonde dos 13. A ação visa a apreensão de ilícitos e prospecção de informações, além da identificação de pessoas que exercem posição de liderança nas organizações.

Ação é intermediada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, em conjunto com o Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE).

Operação Hemólise

Nesta quinta-feira, o Gaeco também divulgou a denúncia da Operação Hemólise, ocorrida no mês passado, que resultou na prisão de 69 integrantes do Comando Vermelho em Rio Branco e nos municípios de Sena Madureira, Porto Acre, Porto Walter e Plácido de Castro.

A operação recebeu o nome de Hemólise – processo de quebra dos glóbulos vermelhos – pois teve como objetivo desarticular especialmente as células denominadas “frentes de bairro”, responsáveis pelo elo entre o conselho da facção Comando Vermelho e os demais integrantes nos territórios onde a organização atua.

Todos os 69 presos na operação – entre os quais foram identificados 23 lideranças, 5 conselheiros e 16 frentes de bairro e cidades – foram denunciados por integrar organização criminosa. As penas individuais podem chegar a até 14 anos de prisão.