Perpétua Almeida propõe criação de Comissão para acompanhar caso de Itaipu

A deputada solicitou a criação de uma Comissão Externa para acompanhar as investigações sobre o Acordo de Itaipu por meio do requerimento 2048/2019 protocolado na Câmara dos Deputados.

Assessoria – Perpétua considera que há graves indícios de irregularidades cometidas por autoridades brasileiras no âmbito da assinatura do ato diplomático entre Brasil e Paraguai relativo à compra de energia elétrica da Itaipu Binacional assinada no dia 24 de maio de 2019.

Para a deputada, “o acordo foi o grande responsável por mergulhar o país vizinho em uma forte crise política”. Na negociação, o Paraguai se comprometia a comprar energia mais cara do que o habitual da Usina de Itaipu, pertencente aos dois países. 

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo divulgada na última quarta-feira (7), a Léros Comercializadora, uma empresa brasileira, pagaria US$ 6 por um megawatt de energia paraguaia e a venderia no Brasil por US$30

 ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Luis Alberto Castiglioni, pediu demissão do cargo. O mesmo aconteceu com José Alberto Alderete, diretor da Itaipu no país vizinho, e com a secretária de Prevenção de Lavagem de Dinheiro ou Bens do Paraguai, María Epifania González. Também envolvidos no caso, o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, e o vice-presidente, Hugo Velázquez, podem enfrentar processo no Congresso que culminaria em um impeachment.  

Para reforçar o pedido de abertura da Comissão Externa, Perpétua lembra que mensagens trocadas entre Benítez, e o então presidente da estatal energética paraguaia, Pedro Ferreira, revelaram que o chefe de Estado sabia dos termos da ata diplomática assinada em maio com o Brasil. Além disso, tinha conhecimento de que o acordo contrariava os interesses de Assunção na compra da energia. “E ainda, que nos parece gravíssimo, ocorreram denúncias de pressões brasileiras sobre o embaixador paraguaio para que  se cumprisse o acordo”, ressaltou a deputada acreana.