“Não queria ganhar perfume, roupa de marca ou dinheiro, eu só queria minha filha em casa”.

Este é início do relato de Osmildo Paiva Melo, que trabalha com uma lanchonete e sonha em ver a saúde da filha restaurada. Enquanto hoje, dia 11, data em que celebram mais um Dia dos Pais, muitos desfrutam da presença dos filhos, ele só gostaria de uma coisa: que um médico atendesse sua filha no serviço público de saúde.

De acordo com o pai, sua filha, uma criança, ficou seis dias internada no Pronto Socorro de Rio Branco após passar por uma cirurgia no pé. “Foi constatada uma bactéria. Pediram exames, fizemos particular, gastamos pra fazer o exame e constatou que se tratava de uma Osteomielite. Levei o exame até o médico no PS, que nada fizeram. Aliás, fizeram, a transferiram para a Fundação Hospitalar”, diz Osmildo.

Ele publicou o relato numa conta de rede social na noite desse sábado e até então, segundo ele, a menina não recebeu nenhum médico para atendê-la. “Há 24 horas sem um médico pra dizer o que será feito, ou se será feito. Essa é a saúde que minha filha e os filhos de tantos brasileiros trabalhadores enfrentam todos os dias”.

O pai afirma ainda que “não tem médico, não tem remédios, não há boa vontade, não tem nada. Ela e só uma criança, não merece passar por isso, nos tratem como gente, e não como animais”, apelou.

Segundo ele, tudo que queria era fazer um churrasco em casa junto da filha. “Mas não será possível graças à saúde pública. Saúde acreana, você é uma vergonha”, concluiu. Por Ac24horas