Dez partidos da FPA vão apoiar o nome do juiz aposentado, Pedro Longo

Perder dez partidos é um rombo no casco de sua candidatura à reeleição se vier a se confirmar.

Os dez partidos que apoiaram a chapa Marcos Alexandre (PT) e Socorro Neri (PSB) para a prefeitura de Rio Branco nas eleições de 2016 decidiram apoiar o nome do juiz aposentado, Pedro Longo (PV), para prefeito em 2020. É que o PROS, PODEMOS, PHS, PSDC, PRB, PMB, PRP, PATRIOTA, P-SOL, PPL foram defenestrados da gestão municipal na reforma administrativa. Mantendo esta posição PSB, PT e PCdoB perdem um apoio considerável para o próximo ano.

Os dirigentes desses partidos se sentiram abandonados no projeto que reelegeu o candidato petista para a prefeitura em 2016. Não aceitam se quer dialogar sobre uma possível aliança com o PSB, PT e PCdoB. Ao todo, representarão mais de 300 candidatos a vereadores que estarão apoiando o candidato do Partido Verde. “A coligação proporcional está proibida, mas a majoritária não”, disse Emerson Pontes, um dos articuladores do movimento em favor de Pedro Longo. Para ele, essa aliança em torno do PV é fato consumado.

Pedro Longo também tem atraído dissidentes da gestão municipal ligados ao movimento comunitário. Vários presidentes de bairros têm procurado o juiz aposentado, que é primeiro suplente de deputado, para a construção de um amplo movimento em função de sua eventual candidatura a prefeito. Segundo Shirley Torres, dirigente do PV, o partido já decidiu que Pedro Longo será o candidato do partido com amplo apoio partidário e popular.

A reforma implementada pela prefeita Socorro Neri (PSB) no início da gestão foi excelente para economizar dinheiro, mas politicamente um desastre.

Seguimentos do PT insistem que o ex-deputado federal Raimundo Angelim se prepare para disputar as eleições ano que vem.

Por enquanto (acertadamente) Angelim diz que não fala sobre o assunto para não trazer prejuízos para a gestão da prefeita Socorro Neri. Ele foi prefeito (um dos melhores) e sabe do prejuízo que causa a antecipação do processo político para um gestor.

Angelim é um político ético, um excelente quadro que o PT vai precisar se ainda pretender disputar com qualidade futuras eleições.