Com 70 novos casos de hepatite B por ano, Saúde de Cruzeiro do Sul faz campanha para controle da doença

Diagnóstico precoce é importante para o tratamento. Atendimento na Vila Santa Luzia serão intensificados.

No mês considerado julho amarelo, todas as cidades do país se mobilizam contra o aumento da hepatite. Em Cruzeiro do Sul, 70 casos novos de Hepatite B são diagnosticados a cada ano e a Saúde está promovendo a campanha para evitar a transmissão do vírus para outras pessoas.

Na segunda maior cidade do Acre, o número de casos no primeiro semestre de 2019 se manteve na mesma quantidade do mesmo período do ano passado, com 22 novos casos. Mas, para não chegar ao final do ano com o total de 70 novos pacientes, como ocorreu em 2018, todas as unidades de saúde estão mobilizadas para aplicar as três doses da vacina contra a hepatite.

Além do atendimento nas unidades, a Secretaria de Saúde do Município também está enviando equipes para fazer o atendimento direto nas instituições que solicitam.

“Fazemos também esse atendimento em repartições públicas e instituições privadas com a aplicação das vacinas e a realização de testes rápidos. É só a instituição solicitar que levamos nossas equipes”, garante o coordenador do setor de Hepatites e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), Iago Castro.

A médica infectologista Suiane Negreiros disse que o número de 70 pacientes que contraem a hepatite B todos os anos é muito alto e alerta para as vantagens do diagnóstico precoce.

“É importante a comunidade está ciente e conhecer do que ela dispõe para se prevenir, através da vacina e também para fazer esse diagnóstico. Muitas pessoas, às vezes, não sabem que têm o vírus e, geralmente, vão procurar o médico quando a doença já está mais avançada”, alerta Suiane.

A infectologista também orienta sobre as formas de transmissão do vírus da doença. “O tempo que a pessoa passa infectada é o tempo que demanda a transmissão para outras pessoas, até por não conhecer que tem. Aí, às vezes, há o compartilhamento de lâminas de barbear por toda família, escova de dentes, utensílios de fazer a unha e também por meio das relações sexuais também pode ser transmitido o vírus”, orienta a médica.

Para chamar a atenção sobre os cuidados para evitar a doença e para tentar identificar novos pacientes, a Secretaria de Saúde vai intensificar o atendimento na Vila Santa Luzia, no dia de mobilização contra a Hepatite, que é 21 de julho. Do G1 Acre