Os profissionais sinalizaram o desejo de implementar na Capital o serviço de táxi compartilhado.

O vereador Mamed Dankar (PT), em pronunciamento na sessão de terça-feira, 9, relatou a participação de reunião com representantes do Sindicato dos Taxistas no Acre e Condutores Autônomos. 

“Os taxistas vivem uma situação delicada e estão em busca de uma resolução. Em verdade, a fiscalização em nossa cidade é precária e isso permite que muitos pirangueiros ainda se façam presentes no Sistema de Transporte da capital. Outra dificuldade dos taxitsas é que os motoristas de aplicativos conseguem liminares atrás de liminares, o que acaba por protelar algumas coisas. A soma desses problemas fizeram com que os taxistas tomassem a decisão de implementar esse serviço.

Dankar disse ainda que os profissionais protocolaram na segunda-feira, 8, na prefeitura de Rio Branco um documento solicitando ao Executivo que encaminhe a Câmara uma alteração na lei para regulamentar esse serviço.

“Durante a reunião fui informado por aqueles profissionais que a categoria já havia protocolado na prefeitura um documento pedindo que fosse encaminhado a essa Casa uma alteração na lei para regulamentar o táxi compartilhado. Eles não abrem mão de colocar em prática esse serviço. Esse é um debate que chegará a essa Casa, portanto, temos que ter sabedoria em conduzi-lo”, alertou.

O parlamentar frisou que em recente pesquisa descobriu que outras cidades já implementaram o serviço, cada uma com sua especificidade. Segundo ele, o mesmo pode ser feito aqui.

“Fui pesquisar onde já existe esse serviço. Vi que Porto Velho, Manaus, Rio de Janeiro, São Paulo, enfim, muitas cidades já dispõem desse tipo de serviço. Cada uma com suas especificidades, por exemplo, uns limitaram o número de táxis circulando nas ruas, outros o valor – não podendo ultrapassar o que é cobrado na tarifa de ônibus -, outro o horário de circulação. É um assunto deverá ser debatido detalhadamente”, finalizou.