Governo chega ao limite de gastos com pagamento de pessoal, as 515 CEC’s não poderão ser utilizadas

Governo criou 515 novos cargos, mas pela lei de responsabilidade fiscal não poderá nomeá-los.

Parece que a equipe de Planejamento do governo Gladson Cameli não se seu conta de como estava a situação fiscal do estado, quando apresentaram a Reforma Administrativa.

O limite permitido para gastos com pagamento de pessoal é de 49%, em cinco meses de gestão Gladson Cameli já chegou a 48%. 40, chegando no seu limite permitido.

O deputado Edvaldo Magalhães do PCdoB alertou o governador esta situação, haja visto que o mesmo criou 515 novos cargos e não poderá executar as referidas nomeações.

Segundo Magalhães a própria contratação dos novos concursados, da segurança, educação e defensoria ficará comprometida, se o governo não achar uma alternativa.

O deputado estadual Daniel Zen do PT foi outro que endossou o discurso de Edvaldo, o Petista acusou o governo de retrair o crescimento das receitas, fazendo um caixa que segundo ele é desnecessário para um momento de dificuldades.

Zen ainda afirma que os relatórios eletrônicos do diário estão lá para todos ver, onde tem afirmação de saldo de 1 bilhão nas receitas correntes do estado e tudo isso fica contraditório a falácia da Herança Maldita.