Deputado Jenilson Leite diz que a troca do ex-Secretário e o caos é para justificará a Terceirização da Saúde

A troca de Secretário e o caos é para justificará a Terceirização: Denuncia Jenilson Leite

Em discurso no plenário da Assembleia Legislativa do Acre nesta terça-feira (04), o vice-presidente da Casa Jenilson Leite (PCdoB), disse que a decisão tomada pelo governador Gladson Cameli (Progressistas) em relação a troca no comando da Secretaria de Estado de Saúde, mudou radicalmente os rumos da saúde pública do Acre.

Segundo Leite, a vinda da médica de Brasília para o Acre representa o passaporte da terceirização da saúde pública. “Estavam tentando terceirizar o HUERB, agora a orientação de terceirização vem para dentro da Sesacre, tendo o governo construindo um roteiro, a história que exista um cartel na pasta, mas até agora não provou nada, apenas retirou o secretário, uma pessoa simpática e que recebia todo mundo, e mostrava dedicação apesar de todas as dificuldades”.

Jenilson Leite afirma que dentro da saúde pública estão os Servidores, os empresário da saúde e alguns agentes da política da base do próprio governo. “Se Gladson não esclarecer onde está o cartel, estará imputando aos servidores, empresários e seus aliados políticos o título de carteleiro”.

O deputado questionou também a falta de diálogo do governador com os sindicatos da saúde e os profissionais da área. “ O governador não conversa com os sindicatos, com os médicos, enfermeiros, técnicos. Se ele queria uma visão técnica para a saúde e queria colocar uma médica, por que não colocou a doutora Rejane que fez o plano de governo dele?”, questiona o parlamentar.

Jenilson afirmou ainda no seu discurso, que a ALEAC já derrotou as OS (organizações de saúde) uma vez e, se posto novamente em votação será novamente derrotada. “`Peço aos colegas que derrotamos mais uma vez, caso o governo insista em colocar nossa saúde aos cuidados das OS, sobretudo as de Brasília. Basta perguntar as pessoas que conhecem a realidade aonde essas organizações administra”, alertou o médico deputado.