Deputado Edvaldo Magalhães diz que mudança na gestão da Saúde não pode ser vista como algo corriqueiro

Para ele, a exoneração de Alysson Bestene não pode ser vista como algo corriqueiro.

Deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) se manifestou a respeito da mudança na gestão da Saúde. O mesmo foi destituído do cargo pelo governador Gladson Cameli (PP) na última segunda-feira (3) e será substituído pela médica pediatra Mônica Feres.

“Uma mudança num setor tão sensível como é o da Saúde, não pode ser encarada por todos nós como algo corriqueiro. Nós vamos ter que aguardar para podermos falar melhor sobre essa metodologia que o atual governo tem usado para fazer essas mudanças, no momento, não dá para interpretá-las”, disse.

O comunista questionou ainda, as declarações feitas pelo governador Gladson Cameli ao justificar a mudança na gestão da Sesacre. “Primeiro, ele disse que Alysson estava saindo porque não teve autonomia para indicar sua equipe. Depois, disse que a partir de agora teremos uma gestão técnica na saúde, completamente despolitizada. Difícil de interpretar essas coisas, uma hora nega que haverá mudança, depois muda”, salientou.

Ainda de acordo com o oposicionista, a saúde vive um momento delicado. “Essa indicação pegou todos nós de surpresa, nem o presidente do partido do governador sabia. O que eu bem sei é que ontem ficou comprovado que a saúde pirou muitos nesses cinco meses de governo. Muito mesmo”, finalizou.