Tribunal de Justiça do Acre lança Programa Cidadania e Justiça na Escola

Ação é promovida pela CIJ e Esjud, em parceria com várias instituições.

A Coordenadoria da Infância e da Juventude (CIJ), do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), lançou, na manhã desta segunda-feira, 6, a edição 2019 do Programa Cidadania e Justiça na Escola, em parceria com diversas instituições.

O evento, realizado na Escola Municipal Theodolina Falcão Macedo, contou com a presença do presidente do TJAC, desembargador Francisco Djalma; da coordenadora da Infância e da juventude (e presidente do TRE/AC), desembargadora Regina Ferrari; do diretor da Escola do Poder Judiciário (Esjud), desembargador Roberto Barros; da juíza-auxiliar da Presidência, Andréa Brito; bem como do presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), o juiz de Direito Danniel Bomfim.

Fizeram-se presentes ainda, à cerimônia, a prefeita (em exercício) de Rio Branco, (vereadora) Lene Petecão; o secretário municipal de Educação, Moisés Diniz; o procurador de Justiça Ubirajara de Albuquerque (MPAC), a defensora pública geral Roberta Caminha (DPE), a representante da OAB/AC, advogada Lorena Torres, as representantes do 1° e 2° Conselhos Tutelares, Graziele Moraes e Maria Sandra, respectivamente; o coordenador do PROERD e representante da PMAC, tenente José Leandro, além da diretora da unidade de ensino, professora Cristiana de Holanda.

A solenidade começou com a performance do Hino Nacional pela banda da PMAC, sob a regência do capitão Djair Vasconcelos, maestro da “Furiosa”, como é conhecido o conjunto musical.

O desembargador-presidente Francisco Djalma saudou a comunidade escolar e assinalou a importância da ação para o próprio Poder Judiciário, uma vez que visa educar as futuras gerações já no início da vida escolar.

“Esse talvez seja o programa social mais importante do Tribunal de Justiça do Acre, pois busca mostrar os caminhos que cada um de vocês deverá seguir através do conhecimento. Será através dos estudos que amanhã vocês serão juízes, policiais, promotores, vereadores, prefeitos. Nós já estamos esperando vocês, na próxima etapa do programa, no Tribunal de Justiça, nos Fóruns, para que possam conhecer o funcionamento da Justiça, do Estado, do Ministério Público. Ou seja, o nosso dia a dia”, disse o desembargador-presidente.

Em seguida, a coordenadora da Infância e da Juventude falou aos estudantes presentes sobre os objetivos do projeto, ressaltando o papel de cada aluno com agente multiplicador dos conhecimentos adquiridos por meio de palestras com o tema cidadania, visitas guiadas aos órgãos da Justiça e mesmo do concurso que deverá eleger a melhor redação da edição 2019.

“É pelas crianças que começamos. A maneira de construir uma cultura de paz é através de atos singelos, no dia a dia, ensinando aos pequenos que todos nós temos direitos e temos deveres – e que todos somos responsáveis pelo mundo que nos cerca. Em um mundo com tanto desrespeito, com tanta violência, falta de gentileza, falta de amor, ainda mais importante se torna ensinar valores construtivos às crianças em idade escolar”, destacou a desembargadora Regina Ferrari.

Por sua vez, o diretor da Esjud, desembargador Roberto Barros, ressaltou a importância da troca de conhecimentos durante as etapas do projeto para preparar os alunos para o melhor exercício da cidadania.

“Talvez o melhor desse projeto seja nós podermos conhecer mais vocês. Quando a gente nasce, a gente conhece os nossos pais e as regras da nossa casa. Quando a gente vem para a escola, a gente conhece os professores e as regras da escola. E a partir de agora a gente vai falar um pouquinho do que vem agora, do mundo lá fora, além da família, além da escola de vocês. Que nós possamos contribuir com a preparação de vocês para o futuro, para que possam entender como as coisas funcionam, a ajudar os pais e os professores de vocês. Para que, no futuro, vocês possam nos substituir”, enfatizou o diretor da Esjud.

O jovem Eliu Joaquim, 10 anos, aluno do 5º ano da escola, aprovou a iniciativa. Para ele, a grande importância da ação está em repassar aos estudantes os conhecimentos necessários para identificar perigos e más influências.

“Hoje em dia, como o mundo tem muitas influências ruins, as crianças, que têm a mente inocente, não sabem muito bem o que fazer. As crianças não têm maldade, então, eu achei essa uma ideia muito boa para fazer a gente andar no caminho da educação, do que é certo e também saber o que é errado, o que não devemos fazer”, falou o jovem Eliu.

Sobre o programa

O objetivo do Programa Cidadania e Justiça na Escola é discutir com os estudantes conceitos como cidadania, direitos e deveres, além de apresentar um breve panorama do funcionamento dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Também são tratados com os alunos outros assuntos, como violência doméstica, drogas, a influência que traficantes e marginais podem exercer sobre a juventude à falta de ações positivas que afastem crianças e adolescentes dessas pessoas, seja por meio da arte, do esporte, do lazer, dentre outros.

Na primeira etapa do programa, são ministradas as palestras de conscientização pela paz e contra a violência. Já na segunda etapa, os estudantes realizam visitas guiadas às instalações do TJAC. A fase final prevê um concurso no qual será escolhida a melhor redação de cada escola com o tema cidadania. A melhor redação será contemplada, na edição 2019, com um tablet, doado pela Associação dos Magistrados do Acre (ASMAC), parceira do programa.

Durante as férias dos alunos não haverá atividades. A retomada das palestras se dará no princípio do próximo semestre, juntamente com o início das aulas.