Governo paga segurança para filho do vice-governador ir em Brasileia

O valor pago em diária pode ser considerado irrisório, não dá nem para comprar um uísque ou um perfume bom; o problema, porém, não é o valor monetário e sim o valor simbólico.

Aparece no Portal da Transparência que um policial foi designado para ir buscar e levar o filho do vice-governador em Brasileia, até aí não há nada ilegal, mas é necessário fazer uma reflexão.

O episódio demonstra que Rocha é um pai preocupado com a segurança do filho, pena que os filhos dos outros mais 800 mil acreanos não gozem desse privilégio, inclusive Rocha, tem demonstrado esmero com a sua segurança e da sua família.

Para lhe proteger e proteger o governador, a Polícia Militar dispõe de quase 90 homens.
Para caminhar no Parque do Tucumã, o major costuma fazer o uso de um aparato invejável.
Recentemente, mudou de domicílio.

Saiu da sua casa para morar no 7º andar de um prédio de luxo, imagine se fosse o filho de um adversário do vice precisando de segurança para ir à fronteira. O que ele diria? Só não gosta de mordomia quem nunca teve.