Deputado Manoel Morais e César Messias travam disputa acirrada para saber quem manda no PSB

Perguntado se sabe das intenções de Manoel Morais de presidir o PSB, Cesar disse: “Ele daria um bom presidente, mas ele não é o vice-presidente”.

A provável saída do professor Rivamar Guedes, da presidência do PSB no Acre, em reunião nesta sexta-feira, 26, deve resultar em uma briga de foice de socialistas pelo comando do partido entre o deputado estadual Manoel Morais e o ex-deputado federal César Messias.

Rivamar Guedes alega questões pessoais para deixar a direção. Por outro lado, Manoel Morais desconfia e acredita que tudo não passa de uma “armação” de César Messias, atual vice-presidente, para assumir o cargo, apesar de o ex-deputado federal negar qualquer intenção de presidir o partido.

“Não tenho interesse algum em assumir o partido. Vou tentar convencer o professor Rivamar a continuar na presidência”, disse César Messias ao Notícias da Hora, nesta sexta, momentos antes da reunião.

O deputado estadual Manoel Morais promete ir “até Brasília para impedir que César assuma”.

O parlamentar diz que o PSB corre risco de “afundar ainda mais” com o ex-deputado federal no comando.

“O César Messias diz uma coisa e por trás depois faz outra. O César chegou ao nosso partido e nós recebemos ele com tapete vermelho. Ele comandou o partido nas eleições passadas e essa foi a eleição, desde 2002, que nós tivemos menos votos tanto para federal como para estadual. Se ele como deputado federal foi ruim desse jeito, imagine sem nada. Eu não sei qual a intenção dele de querer o partido. Ele vai afundar mais do que já está o nosso partido”, dispara.

Luciano Tavares, do Notícias da Hora