Com o novo Governo: Acre perde 317 postos de emprego formal e volta a fechar março com saldo negativo

Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Setor que puxou a queda foi o de comércio, com 292 perdas.

Após terminar fevereiro com saldo positivo, a geração de empregos formais no Acre registrou queda no último mês. De acordo com Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o estado perdeu 317 postos de emprego formal em março, com 1.858 admissões contra 2.175 demissões.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e mostram ainda que o setor de comércio foi o que mais puxou essa perda, com 292 postos a menos no mês avaliado.

O setor de serviços, no entanto, apontou um aumento de 112 vagas, com 822 admissões e 710 desligamentos.

Analisando as cidades, Rio Branco foi a que mais perdeu postos formais de emprego, com 220 vagas a menos. Tarauacá também teve um saldo negativo de 16 postos e Sena Madureira com cinco vagas a menos. Já Cruzeiro do Sul apresentou um saldo positivo de 11 novos postos de emprego.