Os caminhos do deputado Fagner Calegário

Não está em discussão a existência do fato. Este é inquestionável.

O deputado Fagner Calegário (PV) colocou, sim, sob suspeição moral todos os deputados que não assinaram a “CPI da ENERGISA”, ao acusá-los de terem mantido conversas com a empresa e foi mais enfático quando disse que gostaria de ver o extrato bancário desses parlamentares. Foi registrado na imprensa e está na taquigrafia. Não se trata de invenção e nem de represália devido a CPI ter sido instalada. Ao deputado Calegário (PV) resta três caminhos para fazer frente à investigação que vai sofrer: Confirmar o que disse e mostrar as provas; pedir desculpas aos colegas pela acusação proferida ou negar que teve a intenção de dizer que alguém recebeu propina; e, ou se não optar pelas duas hipóteses, ser submetido á Comissão de Ética. Provar a relação incestuosa entre a ENERGISA e os deputados da base governista é improvável que consiga. Reconhecer um erro e se retratar ou mesmo dizer que não foi sua intenção ofender os colegas; não seria covardia, mas uma virtude. Mas, a cabeça do Calegário (foto) é a sua sentença. A palavra final se encontra com a mesa diretora da Assembléia Legislativa. Terá que se posicionar, pois, será pressionado pelos colegas. Como parlamento é conversa, nada que uma conversa não possa acabar com toda esta celeuma. E segue a política.

ACREDITO NA SUA BOA-FÉ

Somente li a Nota do deputado Fagner Calegário (PV) depois que tinha enviado a coluna ao ac24 horas. Tive que correr antes de sua publicação para inserir este comentário: foi uma explicação de boa-fé. Entendo que no clímax do debate político alguém pode extrapolar. Isso é comum. Com tudo o que ele, disse não há mais razão para colocar este tema em discussão na Assembléia Legislativa. A sua Nota serviu como ponto final na querela se quis ou não quis ofender moralmente os colegas. Ponto final e vamos para o debate de temas de interesse do Acre.

NADA QUE UMA CONVERSA NÃO RESOLVA

Nada que uma conversa interna, uma retratação, negar a intenção da ofensa, não resolva, evitaria uma desgastante Comissão de Ética. Os rumos deste caso estão nas mãos do deputado Fagner Calegário (PV). Acho que uma reunião envolvendo todos os deputados findaria o episódio.

AGORA ME CONVENCI

Fui às três últimas partidas do futebol acreano envolvendo Rio Branco, Atlético Acreano e Galvez, e sai com uma convicção, sobre um dos pontos que afasta o público do estádio: a arbitragem deixa muito a desejar. Não há dolo de prejudicar, é que o nível técnico é baixo. E acabam por protagonizar cenas lamentáveis, como ontem na decisão. São muitos ruins!

PARA SE APLAUDIR

A medida tomada pelo governador Gladson Cameli de que os idosos e portadores de deficiências receberão seus medicamentos em casa é para se aplaudir o governador Gladson Cameli e o secretário Alysson Bestene. Elogiável porque tem o cunho apenas humanitário.

BOM SINAL

As redes sociais são sempre um bom termômetro para qualquer administrador público. Já se começa a ler postagens com elogios à melhoria no atendimento nas unidades estaduais de saúde. Não é bom apenas para o secretário Alysson Bestene, mas para a coletividade.

TEM QUE EXPLICAR

O secretário de Agricultura, Paulo Wadt, tem que explicar os reais motivos do fechamento do Laboratório de Melhoria Genética. Não pode ir metendo a chave na porta sem uma razão.

COMEMORAR COM CAUTELA

Houve de fato uma queda no número de execuções no Acre. Mas, estes mesmos números mostram o Estado como um dos mais violentos. A nova equipe da Segurança está mais atuante nos bairros, tem tido um bom teto de resolução das execuções e de assaltos, mas nada que possa ser comemorado como uma vitória final contra o crime. Não pode afrouxar as rédeas.

SAUDADES DO LULA, PADRE MÁSSIMO?

O bom Pastor Padre Mássimo Lombardi fez uma postagem condenando a política neoliberal, a qual acusa de prejudicar os mais pobres. Entendo a sua saudade da Dilma e companhia limitada. Mas no campo moral, os seus ídolos não foram exemplo para a boa política. Ou foram?

QUE VERGONHA! IMPORTAR GELO?

Ao assistir entrevistas que mostraram de que o grosso do pescado de açude consumido na Semana Santa veio de Rondônia. E que o gelo para a sua conservação também veio de Rondônia, só tem uma qualificação: vergonhoso! Mostra o fracasso dos governos do PT no campo produtivo. Importar gelo de Rondônia? É o cúmulo do fracasso, convenhamos!

PARA O JAPÃO, CHINA E PARA MARTE

E olha que passamos os últimos oito anos ouvindo do governo que foi varrido pelas urnas de que a sua política de piscicultura e a Peixes da Amazônia iriam exportar peixes para o Japão, China e Marte. Nem uma coisa e nem outra: a Peixes da Amazônia, simplesmente, quebrou.

TROPA DE CHOQUE DA OPOSIÇÃO

Nestes primeiros meses de sessões legislativas já dá para se dizer que a tropa de choque da oposição ao governo Gladson Cameli está composta pelos deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB), Roberto Duarte (MDB) e Jenilson Lopes (PCdoB). Numa simbiose política estranha.

NEM FEDEU E NEM CHEIROU

Muito comedida a participação da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) no debate da GLOBONEWS sobre o assassinato de mulheres no Brasil, poderia ter sido mais enfática com o fato do Estado ser o campeão de mortes de mulheres pelos homens, um quadro vergonhoso.

SENTAR PARA UMA CONVERSA

Há todo um trabalho para que na visita que o governador Gladson Cameli fará ao Projeto Cazumbá, em Sena Madureira, em data a ser marcada nesta semana, aconteça um encontro, em que Gladson e o prefeito Mazinho Serafim, para uma conversa política aberta.

NADA QUE O DIÁLOGO NÃO SUPERE

O prefeito Mazinho Serafim (MDB) – que disputará a reeleição com chance de vitória – será uma peça importante para o governador Gladson Cameli numa possível nova disputa do governo. Este é um contexto real. Em política, nada que um diálogo franco não apare arestas.

METRALHADORA GIRATÓRIA

Em uma postagem, o prefeito Mazinho Serafim teceu ironias ao programa saúde itinerante, comandado pelo dirigente da Saúde no município, Jairo Cassiano, que com grande aparato atendeu apenas 200 pessoas. Mazinho chamou Cassiano de “petista enrustido” e lamentou que tenha trabalhado para tirar o PT do poder e ver que continuam em cargos em comissão.

UM ANIVERSÁRIO COM A CARA DO PETECÃO

Não deu para calcular o número de pessoas que esteve na Fazenda Boi Cagão para comemorar o aniversário do senador Sérgio Petecão. Uma multidão! Detalhe: a maioria era composta de pessoas humildes, já que a festa foi aberta ao povão. Foi um aniversário com a cara do Petecão. A razão do seu sucesso político é ser o mesmo na campanha e durante o mandato.

NÃO DISCUTE ALIANÇA

O senador Sérgio Petecão (PSD) tem sido pragmático quando procurado para alianças e apoio para a disputa de prefeituras no próximo ano. Como macaco velho, Petecão sabe que o jogo ainda está para ser jogado, principalmente, na eleição de Rio Branco. Só escuta e escuta.

BASE SE REÚNE PARA MONTAR GRUPOS

Os deputados da base do governo voltarão a ser reunir amanhã, para a formatação de novos blocos na Assembléia Legislativa. O vice-governador Major Rocha disse ontem à coluna de que nenhum requerimento, projeto, que vier de hoje em diante da oposição será aprovado.

UNIDADE ACIMA DE TUDO

A formação de novos blocos partidários na ALEAC terá influência direta nos tempo dos partidos na tribuna. O vice-governador Rocha fala com entusiasmo quando se refere à nova base do governo, alertando que à oposição restará o que a urna lhe reservou: ser minoria.

INVERSÃO DE FORÇAS

A decisão de não aprovar nada que for apresentado pela oposição, segundo Rocha, não se trata de radicalismo, mas de exercer no parlamento o que é natural, da maioria decidir o que deve ou não ser aprovado. O deputado Roberto Duarte (MDB) é listado como de oposição.

NÃO HAVERÁ NENHUMA MUDANÇA

Segundo a coluna apurou nada mudou em relação à troca da liderança do governo, que continuará a ser exercida na ALEAC pelo deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISITAS), que se encontra ausente do Estado por questões de saúde, mas ao retornar volta ao posto.

OU PRESSIONA OU PERDE

Desde o governo passado que estes 90 milhões de reais para a recuperação de ramais vêm sendo igual á orelha de freira, sabe-se que existem, mas não se vê. Se a bancada federal não continuar pressionando pela liberação, o verão vai embora, e os ramais continuarão abandonados.

VISÍVEL MAL ESTAR

A última entrevista do ex-senador Jorge Viana (PT) ao OPINIÃO mostrou o seu desconforto quando trata de alguns temas como o abandono das obras do Canal da Maternidade, não pode nem apontar o dedo, porque a destruição aconteceu durante o governo do seu irmão.

NÃO HÁ COMO SEPARAR

O senador Jorge Viana (PT) sabe que nenhuma avaliação que for feita de forma isenta sobre o desastre do PT na última eleição, não poderá deixar fora das causas o governo passado. Por isso o JV deve estar evitando se aprofundar quando trata da derrota petista fragorosa.

FOI UMA PATUSCADA

Afinal, com quem estavam as máquinas apreendidas pelo governo? Se era apenas para exibir em frente ao ARENA da Floresta e não se dizer que providências serão tomadas, melhor não ter feito tanto carnaval. Agora se sabe como alguns deputados tinham votos na área rural.

AÇÃO ENÉRGICA

O deputado federal Alan Rick (DEM) se mobilizou junto ao Ministro da Infraestrutura Tarcíso Freitas para que as obras da ponte sobre o Rio Madeira não sofressem paralisação por falta de recursos. Saiu com a certeza que os 12 milhões que faltam para a conclusão estão garantidos, assim como marcou uma visita técnica à obra no próximo dia 2.

GOL DE PLACA

O deputado federal Alan Rick (DEM) também teve a garantia do Ministro Tarcísio Freitas que, ele virá ao Acre em data a ser marcada em Maio ou Junho, para juntos percorrerem a BR-364, no trecho entre Rio Branco-Cruzeiro do Sul, para conhecer a real situação e definir a conclusão.

ESPERAR O RETORNO

O primeiro- secretário da mesa diretora da ALEAC, deputado Luiz Gonzaga (PSDB), diz que espera a volta do deputado Fagner Calegário (PV) de Manaus, para marcar uma reunião com todos os deputados e aclarar o pronunciamento do parlamentar. “Ele me disse ontem que nunca falou que, algum colega tenha pegado propina da ENERGISA. Eu disse que tem de falar isso aos colegas”, enfatizou. Acha que tudo se resolve numa conversa. No que, eu concordo.

NO GOVERNO

Quem está hoje com o governador é o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS). Neste curto período à frente do Legislativo, Nicolau vem agindo como magistrado em todas as decisões.

O EGO DO JV É MAIOR

Só depois de ver a candidatura registrada no TRE-AC acreditarei que o ex-senador Jorge Viana disputará a prefeitura de Rio Branco. O ego do JV está no andar de cima, vai mirar o Senado ou o governo na eleição de 2022. Sabe as agruras de ser prefeito num momento crítico da economia, numa prefeitura que, praticamente, vive do FPM e emendas parlamentares.

NO PARLAMENTO, A MAIORIA DÁ O TOM

O deputado Roberto Duarte (MDB) não pode se atacado pelo livre direito de se aliar na Assembléia Legislativa com o bloco da oposição, integrado por parlamentares do PCdoB e PT. Um direito seu. Cada um escolhe seu lado político. Também, o Roberto não pode reclamar das declarações do vice-governador Major Rocha de que nada que vier da oposição será aprovado daqui em diante; porque ele sabe que, no parlamento, quem dá o tom da música é o bloco político majoritário. E não se trata de nenhuma perseguição, caça às bruxas ou algo do gênero. O deputado Roberto Duarte (MDB) não é um neófito na política e sabe como as coisas funcionam seja Câmara Federal, no Senado e nas Assembléia Legislativa. O jogo é jogado.