Deputada Perpétua Almeida participa de ato em defesa da aposentadoria das mulheres

Centenas de mulheres se reuniram na Câmara dos Deputados, em Brasília, para um ato contra a Reforma da Previdência. 

O objetivo do evento é alertar a população sobre como a Reforma da Previdência (PEC 6/2019) prejudica os direitos previdenciários das mulheres brasileiras.

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB/AC) participou do ato e declaro sua posição contrária a Reforma da Previdência. “Nós, mulheres, somos as mais prejudicadas com essa proposta da Reforma.  Teremos que trabalhar mais sete anos e contribuir mais 10 para ter aposentadoria integral  enquanto os homens terão mais cinco anos. Não vamos aceitar! Precisamos nos mobilizar contra essa reforma excludente, que pune os mais pobres e faz com que as mulheres percam direitos adquiridos ao longo dos anos”, declarou a parlamentar.   

Organizada pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, pela Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Mulher e pela liderança da Minoria na Câmara dos Deputados – representada pela deputada Jandira Feghali (PCdoB/RJ), o ato reuniu mulheres de várias representações, entre parlamentares, entidades de classe, organizações sindicais, movimentos sociais e sociedade civil organizada.

A reforma da Previdência do presidente Jair Bolsonaro penaliza com maior força as mulheres, ao desprezar as questões de gênero que permeiam o mundo do trabalho e o ambiente familiar. Pelas regras de transição apresentadas pelo governo, elas vão trabalhar mais sete anos e contribuir mais 10 para ter aposentadoria integral. Homens terão mais cinco anos de trabalho e contribuição. As trabalhadoras rurais terão que trabalhar cinco anos a mais para se aposentar e as professoras terão que contribuir mais cinco para se equiparar aos homens.