O episódio merece apuração rigorosa, pois aponta indícios de beneficiamentos irregulares patrocinados pelo líder do governador na Aleac, Gehlen Diniz.

Semana passada, o Governador Gladson Cameli faltou com a verdade, quando disse que, pela primeira vez, o governo fez concurso para professor provisório sem que houvesse apadrinhamento.

Uma denúncias de um suposto esquema de favorecimento no Núcleo da Secretaria de Educação do Estado em Sena Madureira que envolvem o vereador Charmes Diniz e o Deputado Gerlen Diniz (PP) para empregar professores da zona rural que votaram no deputado.

Semana passada, Gladson Cameli faltou com a verdade, quando disse que, pela primeira vez, o governo fez concurso para professor provisório sem que houvesse apadrinhamento.

A suposta conduta de Diniz põe por terra a afirmação de Cameli. A declaração de Cameli é inverídica, porque sempre houve concurso. O certame que ele tanto falou foi autorizado e teve início no governo passado.

Um áudio enviado via whatsapp por uma fonte que revela o manobra de favorecimento. ‘‘É meu pai que tá mexendo com as escolas da zona rural sim…quem pegou as escolas do Iaco foi o Chamins…ele entregou tudo para ele empregar os que estavam com o Gerlen’’. Declara a voz na gravação.

Por outro lado, várias pessoas que fizeram o concurso (Processo Seletivo) ainda não foram chamados e nem sabem se serão.

Nossa reportagem entrou em contato via whatsapp com o Deputado Gerlen que se pronunciou dizendo:

“O Deputado. Gerlen Diniz tem primazia pela legalidade, e ao indicar o nome da atual gestora do núcleo da SEE de Sena Madureira, sabia que a mesma também iria desempenhar suas funções com observância as normas legais. Portanto, baseado nessas premissas, é possível afirmar que qualquer denúncia que atribua a violação dos preceitos estabelecidos no edital do processo seletivo da educação, tais como:

Não observância de ordem de classificação para contratação, não observância da preferência àqueles melhor classificados quanto aos locais de lotação, e assemelhados, estará totalmente desprovida de fundamentos.

Quanto as lotações da zona rural, após a contratação dos aprovados, e em ainda havendo vagas a serem preenchidas, o núcleo realiza contratações diretas, observando sempre a formação do profissional a ser contratado, portanto, reitera não Haver nenhuma inobservância as normas editalícias e aos princípios que norteiam o serviço público.”

A reportagem não conseguiu localizar o vereador citado até o fechamento da matéria. O espaço fica aberto ao parlamentar mirim caso queira se manifestar.

Áudio Mostra que Contratados são Indicados por Charmes Diniz.