Por falta de UTI neonatal criança prematura vai a óbito no Hospital Wilde Viana, em Brasileia, afirma vó da criança.

Vitória Valentina Rocha da Silva foi enterrada no cemitério de Epitaciolândia as 5 horas, da tarde deste sábado.

A redação do site 3 de Julho Noticias recebeu a informação de que neste Sábado mais uma família chora com a dor da perda de uma criança linda, recém-nascida; prematura e sem UTI neonatal no hospital de Brasileia, Vitória Valentina Rocha da Silva não resistiu e foi a óbito quatro horas após o seu nascimento.

A avó materna de Vitória, procurou a redação do site 3 de Julho Noticias para denunciar o descaso por parte do Governo do Estado, Evanda Oliveira do Nascimento afirmou que sua neta só faleceu porque no Hospital Regional Wilde Viana, de Brasileia, não tem UTI neonatal; o caso aconteceu neste sábado, onde segundo informações a criança teria nascido viva perfeitamente saudável e quatro horas após o nascimento faleceu.

Evanda conta que a mãe, Luana Nascimento Rocha, começou a sentir fortes dores no amanhecer deste sábado e ao chegar no Hospital foi feito o toque e os médicos de plantão viram que ela já estava com quase nove centímetro de dilatação, já estava pronta para ganhar bebê, porém, prematuramente. Evanda conta ainda que por volta das hs 7:00, foi realizado o parto normal de Tainara, a bebê ainda que prematura estava perfeita simplesmente normal, porém, após o parto, Tainara foi levada para o leito e a criança ficou na sala de parto para que fosse realizado todos os procedimentos necessário para salvar a vida de Vitória.

Vitória Valentina estava com 28 semanas, equivale a sete meses de idade, tinha tudo para sobreviver, só precisava ter uma UTI neonatal naquele que era para ser um Hospital referência na região, mas ao que se ver é totalmente o contrário; um bebê com sete meses tem uma probabilidade maior de sobreviver do que qualquer outro prematura, oito meses por exemplo é muito mais difícil sobreviver do que um prematuro de sete meses, então porque não ter uma UTI neonatal para salvar vidas de bebês inocentes.

A mãe da criança continua internada no Hospital Wilde Viana, em Brasileia. A mãe entrou em choque ao saber da morte da Filha.

Evanda conta ainda que a bebê se quer foi colocada em uma incubadora, isso porque na Unidade de Saúde não tem UTI neonatal, pois o hospital foi recém entregue ainda na gestão passada (apenas uma parte, incluindo a maternidade), mas até agora o atual Governo do Estado, na pessoa do Governador Gladson Cameli, não disponibilizou UTI neonatal da unidade hospitalar, e com isso resultou no falecimento de Vitória Valentina. A incubadora neonatal é um equipamento que proporciona a um recém-nascido um ambiente termoneutro, controlado pelos fatores fluxo de ar interior, umidade e temperatura, geralmente é utilizado em prematuros, o que seria fundamental para salvar a vida da pequena.

Diante do acontecido, vale destacar que não houve negligência dos médicos que ali estavam e foi feito o necessário, segundo Evanda até queriam fazer um cateterismo no umbigo da recém nascida mais infelizmente nada do que foi feito adiantou, mas diante da falta da UTI neonatal podemos deduzir que foi o pivô para o falecimento de Vitória Valentina.

A família está inconformada com a situação, a mãe, Luana e o Pai, Denilson Viana estão arrasados e agora procurarão seus direitos, pois algo dessa natureza não pode ficar por isso mesmo, é uma situação lamentável que não deveria acontecer com ninguém.

Até o fechamento desta matéria, a redação do site 3 de Julho Notícias tentou por diversas vezes entrar em contato com o Diretor Geral do Hospital Regional, Dr. Rodrigo Santiago, mas infelizmente não obtivemos resultado.