Governo Gladson insiste em não falar a verdade; Concurso da Educação foi autorizado e iniciado por Tião Viana

O governo é fiel à máxima de que uma mentira várias vezes repetida, vira verdade.

Essa é uma frase atribuída ao propagandista nazista Joseph Goebbels, mas parece ter sido adotada pelo governador acreano.

Sem tremer a face, o rapaz tem dito muitas inverdades. Uma delas é que, pela primeira vez em 20 anos, a Educação fez concurso para professor provisório.

Mentira, mentira e mentira.

Na verdade, o concurso que foi realizado nem contou com a sua autorização, muito menos começou no seu capenga governo.

O edital do concurso foi elaborado e publicado em dezembro do ano passado, no governo Tião Viana. A administração de Cameli apenas deu prosseguimento, de forma atabalhoada, ao que já existia. Veja aqui: https://www.acheconcursos.com.br/concursos-acre/concurso-see-ac-2018-2019-edital-e-inscricao.

Também é inverídica a informação que não havia concurso. Sempre houve. É obrigação legal, sob pena de o gestor ser penalizado.

Antes de 2014, a lei estabelecia que a duração dos contratos dos aprovados era de um ano, podendo ser prorrogado por mais um ano.

A partir de 2014, o prazo de validade passou a ser de dois anos, com prorrogação pelo mesmo período.

Veja aqui https://www.acheconcursos.com.br/concursos-acre/concurso-educacao-do-acre-see-ac-2014

No fim de 2018, os contratos venceram. Por isso, foi necessário fazer outro processo seletivo. Cameli não parece ser apenas mal assessorado. Demonstra está mal intencionado.

“Eu próprio assinei os editais para as diferentes áreas, quer seja para professores permanentes, quer para professores temporários e áreas específicas. Pela primeira vez deixamos pronto processo seletivo para ensino especial e indígena. Que se reponha a verdade”, alfinetou o ex-secretário Marcos Brandão.

Brandão relembrou que o ex-governador Tião Viana, fora concurso para professores, num gesto visionário, contratou mais de 3 mil bolsistas alfabetizadores, para acabar como mal do analfabetismo.

Ganho com Viana – No governo Tião Viana, a quem o rapaz critica tanto, foram muitos os avanços na Educação, com destaque para a valorização dos trabalhadores.

Tião Viana fez concurso e contratou 2.500 servidores efetivos, só no primeiro mandato. Foi a maior da história.

Até o final de 2010, a folha de pagamento da Educação era de R$ 418 milhões ano. No final de 2018, superou os R$ 700 milhões.

O governo Viana ampliou o Prêmio de Valorização por Desempenho (VDP) para todos os servidores. Antes, apenas professores e gestores tinham direito.

O governador Tião Viana sancionou a lei que garante o reenquadramento dos servidores. Isso quer dizer que o servidor atrasado na sua letra tem direito a uma correção para a última, no momento da aposentadoria, com ganho salarial real. Com o reenquadramento, os professores aposentados tiveram ganhos de 30%.