Gladson, o Governo que não é do Pró Saúde: A solução dos problemas na Saúde estariam na Terceirização?

Sem dúvida alguma a saúde pública é hoje, um dos maiores gargalos de qualquer gestor.

Em tempos de PEC dos gastos públicos que congelaram investimentos em diversos setores da administração e a saúde foi uma das tais, cabe aos entes governamentais fazer mais esforços e colocar ainda mais o braço do estado nas áreas mais delicadas e prioritárias de interesse do povo.

Assim como na maioria dos Estados a saúde do Acre atravessa momentos de crise e o caos está instalado, desde problemas com servidores que vivem a incerteza de seu futuro profissional, no caso o Pró Saúde, a sucateamento do sistema como todo.

Na gestão anterior uma proposta de terceirizar o Hospital de Urgência e emergência de Rio Branco foi posta em pauta no final do governo Tião Viana do PT, que apontava a medida como desvio da burocracia e possibilidades de melhoria dos serviços ofertados.

A oposição da época; hoje Situação esperneou e chamou grandes manifestações, apoiada pelos sindicatos da categoria, rechacando a proposta que segundo os mesmo, deixaria o estado sem a responsabilidade fim daquilo que é direito constitucional do povo.

O Sintesac apontava desvalorização dos trabalhadores, ausência de concursos e cabide de empregos, com direcionamento de indicados por influentes do governo.

Passado a gestão petista, os problemas na Saúde continuam e em algumas áreas pioraram, como por exemplo o atendimento nas Unidades de Pronto atendimento – UPAS.

Acoado e sem achar uma Saída para aquilo que chamou de falta de Gestão, o governador do estado Gladson Cameli busca justamente a TERCEIRIZAÇÃO de algumas unidades como alternativa.

HUERB, Hospital Regional de Brasiléia e as UPAS estariam na lista do plano.

Embora segue que esteja definido, o secretário de estado de Saúde Alysson Bestene viajou para Brasília, onde conhecerá a estrutura de unidades administradas por empresas.

A ideia seria iniciar um debate e de Pronto levar o projeto para Assembléia legislativa do estado – ALEAC, onde certamente terá muitos questionamentos.

O mais intrigante nessa história será assistir os parlamentares que criminalizavam a ideia de terceirizar a saúde, serem os primeiros a defender.

O certo é que o povo clama por saúde e terceirizada ou não, cabe ao governador mostrar aquilo que mais prometeu fazer, Gestão!