O Advogado Emerson Soares denuncia suposto desvio de recursos na compra de medicamentos, mais uma suposta prática ilícita por parte da BIOLAB, junto a Prefeitura.

O Município de Rodrigues Alves vem se tornando alvo de denúncias por conta do desleixo e descompromisso por parte do atual Prefeito Sebastião de Souza Correia (MDB), com a população que tem sofrido ao extremo por conta da péssima administração do emedebista, não bastando o abandono do município em todas as áreas, recentemente veio à tona que pode estar havendo um grande esquema de corrupção dentro do Poder Público Municipal.

Quem da detalhes é o advogado Emerson Soares, que ao perceber algo estranho não se conteve e veio a público denunciar um suporto desvio de verba pública através da compra de medicamento, na qual quem “fornece” é a Empresa BIOLAB, a mesma empresa que estaria envolvida em situações ilícitas em relação ao Prefeito de Senador Guiomard, que até bem pouco tempo estava preso. BIOLAB também estaria envolvida no escândalo do ano passado na Prefeitura de Capixaba, também sob eventual desvio de medicamentos, emissões de notas frias e outros.

Advogado Emerson Soares e quem está denunciar um suporto desvio de verba pública na compra de medicamento na prefeitura de Rodrigues Alves.

Consta no portal da transparência da Prefeitura de Rodrigues Alves, um valor exorbitante com relação a compra de medicamento e insumos hospitalares, onde no ano de 2017 a Prefeitura teria gasto R$ 902.232,92 (novecentos e dois mil reais, duzentos e trinta e dois reais e noventa e dois centavos), um valor um tanto quanto suspeito já que nas Unidade de saúde não tinha nem os medicamentos básicos.

Com relação ao ano de 2018, consta no Portal da Transparência que a Prefeitura de Rodrigues Alves gastou R$ 1.035.825,48 (um milhão, trinta e cinco mil, oitocentos e vinte e cinco reais e quarenta e oito centavos), ou seja, o valor aumentou significativamente, onde somando apenas os dois primeiros anos de gestão do Prefeito Sebastião Correia, chegamos a conclusão que foram gastos R$ 1.938.058,40 (um milhão, novecentos e trinta e oito mil, cinquenta e oito reais e quarenta centavos).

O Prefeito Sebastião Correia (MDB) gastou em 2017 com medicamentos R$ R$ 1.035.825,48, com a empresa BIOLAB.

Mas diante da situação o que chama a atenção mesmo, não é nem o valor que foi gasto e sim, as denúncias constantes da população de que nesse período não teve e não tem medicamentos nos Pontos de Saúde, ou seja, não dá para justificar esses gastos absurdos com a empresa BIOLAB.

Segundo o advogado Emerson Soares, com base na Lei da Transparência, como cidadão do município, ele solicitou por várias vezes, reiterou por mais 3 vezes, os pedidos de informação, pedindo os processos de compra, pedindo o processo licitatório, e a Prefeitura sempre dando calado por resposta. O Advogado diz ainda que conversou com algumas pessoas da Prefeitura, e essas pessoas lhe disseram que ele não iria receber essas informações.

Sem opção o advogado Emerson fez uma representação no ministério Público Federal (veja documento abaixo) e também fez um pedido de instauração de inquérito policial junto à Polícia Federal, já que se trata de recursos Federais, também fez o pedido para que fosse instaurado uma investigação para saber se havia realmente este desvio, porque não que seja uma acusação, mas é um alerta se tem uma compra de 2 milhões em medicamento e está faltando paracetamol no posto de saúde, alguma coisa está errado.

O Prefeito Sebastião Correia (MDB) gastou em 2017 com medicamentos R$ 902.232,92, com a empresa BIOLAB.

Após as denúncias, o advogado conta que foi procurado por um assessor do Prefeito Sebastião bem cedo em sua residência, onde o assessor tentou amenizar essa situação, mas em conversa do advogado com o assessor, Emerson afirma que o assessor junto ao Prefeito tentou lhe subornar.

“Ele me fez uma proposta dizendo que tinha conversado com o Prefeito e que o mesmo tinha pedido para que parasse com essas denúncias, que ele me daria um valor de 3 mil reais por mês e que quando prefeitura melhorasse a arrecadação ele ia me dar um valor considerável, não chegou a citar este valor, mas disse que ia me dar um valor considerável. Perguntou se eu aceitava, e eu disse para ele que eu não queria nada para mim queria só que ele honrasse com o partido”, disse Emerson.

Dessa forma diante de tanta indignação, podemos deduzir que o dinheiro público não está sendo bem aplicado, pois os moradores esperam um posicionamento dos órgãos competentes quanto a essa questão, essa situação chega a ser inadmissível e não pode continuar acontecendo, então que medidas sejam tomadas a curto prazo para que os recursos públicos sejam aplicados de forma devida e com escrúpulo. Cabe agora o Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas do Estado operar para banir essas práticas.