Em penas somadas, grupo é condenado a mais 115 anos de prisão por diversos crimes

Decisão é da Vara de Delitos e Organizações Criminosas de Rio Branco, publicada no TJ-AC nesta segunda-feira (11). Cinco dos acusados podem recorrer da sentença em liberdade.

Nove pessoas foram condenadas a mais de 115 anos de prisão em um processo de furto qualificado, receptação, coação, lavagem de dinheiro, organização criminosa, entre outros crimes. A decisão é da Vara de Delitos e Organizações Criminosas de Rio Branco.

O texto com a sentença foi publicado no Diário da Justiça Eletrônico, no último dia 27, e divulgado pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), nesta segunda-feira (11).

O grupo é acusado de entrar em um propriedade e furtar uma retroescavadeira, 140 metros de cabos e 100 metro de fios de baixa tensão, ano passado.

Ainda segundo a Justiça, a quadrilha utilizou um número telefônico de outro estado para falar com a vítima e pegar o endereço. Segundo a sentença, o plano foi armado por Renê Cácio Nogueira de Sena.

Apenas Sena foi condenado a mais de 30 anos, em regime inicial fechado. Para Justiça, Renê Sena, Elias Bessa Carvalho, Reginaldo Silva de Souza e Cléber Silva de Oliveira entraram na propriedade para furtar os materiais.

Os quatro tiveram o direito de recorrer da sentença em liberdade. Os demais envolvidos – Pedro Barbosa da Silva, Herbessonclei Pereira Rodrigues, Alan Morais de Oliveira, Larissa Sizino de Lima e Sebastiana Sizino de Lima – teriam envolvimento com lavagem de dinheiro ou ocultação de bens e valores.

A Justiça concedeu para eles o direito de recorrer da decisão em liberdade.

A reportagem não conseguiu contato com os advogados citados no processo.