Presos em operação da PF-AC vão ser levados para presídios de segurança máxima

Organização possuía uma rede de movimentação bancária, com vários laranjas, que sabiam que atuavam para o tráfico de drogas.

Durante coletiva de imprensa, delegado disse que líderes da organização vão para presídios federais — Foto: Alcinete Gadelha

Dez pessoas foram presas no Acre durante a “Operação Alvorecer”, da Polícia Federal (PF), que desarticulou uma organização criminosa que atuava no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro em vários estados do país. A maioria das prisões foram em Rio Branco, mas também ocorreram em municípios do interior.

O delegado Fares Feghali, responsável pela operação, disse durante coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (13), que os líderes da organização vão ser transferidos para presídios de segurança máxima fora do estado. Um dos líderes foi preso no Acre e outros dois no Rio Grande do Norte.

“Em razão de a organização continuar atuando de dentro dos presídios, a Polícia Federal solicitou e o juiz deferiu a transferência dos principais líderes para o presídios federais”, disse o delegado.

O núcleo de atuação da organização estava instalado no Acre, de onde atuavam através do tráfico internacional de drogas, com entorpecente que vinha da Bolívia e Peru. Quando chegava ao estado, a droga era transportada para os outros estados do brasileiros.

Ainda segundo Feghali, a organização possuía uma rede de movimentação bancária, com vários laranjas, que sabiam que atuavam para o tráfico de drogas. Além disso, levavam uma vida luxuosa, de requinte, com viagens e ostentação.

Investigação

Conforme a polícia, foram dois anos de investigação. Nesse período, a organização movimentou mais de R$ 200 milhões, entre depósitos e retiradas. Além disso, a polícia apreendeu cerca de 700 quilos de cocaína. Mais de 53 veículos de luxo foram apreendidos e ainda tiveram bloqueio de R$ 20 milhões em contas bancárias.

“A Polícia Federal vem seguindo a nova diretriz de perseguir o dinheiro, porque é realmente importante asfixiar economicamente as estruturas criminosas. Hoje, todos os bens da organização foram apreendidos, automóveis de alto valor e as contas foram bloqueadas”, pontua o delegado.

Sobre a operação

Ao todo, foram cumpridos 81 mandados judiciais, entre eles 13 de prisão preventiva, 19 de busca e apreensão e 49 sequestros e bloqueios de bens. Segundo a polícia, os mandados foram cumpridos dentro de presídios no Rio Grande do Norte, em todo o estado do Acre, Alagoas e em Natal.

Durante as investigações, a Polícia Federal contou com o apoio operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O nome “Alvorecer” foi dado à operação porque, segundo a PF-AC, era o horário que a organização atuava no transporte de entorpecentes.

Por Alcinete Gadelha, G1