Com mais de 500 vagas, Colégio Militar vai iniciar aulas ainda em fevereiro em Cruzeiro do Sul

Esse é o primeiro colégio militar de Cruzeiro do Sul. Vagas atendem alunos do 6º ao 9º ano.

A primeira escola militar de Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, terá o início de suas atividades no dia 25 de fevereiro. A unidade vai funcionar na Escola Anselmo Maia que será desocupada para a instalação da nova modalidade de ensino.

O anúncio da instalação do Colégio Militar de Cruzeiro do Sul foi feito pelo governador Gladson Cameli no início deste mês. Segundo a Secretaria de Educação do Estado (SEE), este ano serão disponibilizadas 560 vagas para alunos do 6º ao 9º anos do ensino fundamental, sendo que 180 vagas serão para os estudantes que já estavam matriculados na Escola Anselmo Maia. O restante das vagas serão preenchidas por meio de sorteio.

O período de matrículas ainda não está definido. De acordo com o coordenador da comissão de implantação dos Colégios Militares no estado, Albertine Ramos, o governo ainda está tratando da acomodação dos estudantes que deixarão a escola em outras unidades de ensino para poder fazer a seleção dos alunos do Colégio Militar.

“Os alunos que estão do 6º ao 9º anos, a gente vai garantir a permanência deles. Com relação aos alunos do ensino médio, nós vamos discutir com a comunidade para que não causemos nenhum dano a eles”, disse Ramos.

Outra medida para o funcionamento do Colégio Militar de Cruzeiro do Sul é a definição do quadro de funcionários. Segundo o governo, a unidade será gerida por uma equipe de miliares, mas os professores e outros funcionários serão do quadro da secretaria.

De acordo com o coordenador da comissão, os servidores que já trabalhavam na escola podem optar por permanecer no colégio. A escola Anselmo Maia já tinha 480 alunos matriculados para o ano de 2019 e a maioria terá que procurar outra unidade de ensino para estudar.

A coordenadora da SEE, Rute Bernardino, garante que a rede estadual tem vagas para acolher todos os alunos que serão removidos.

“A primeira alternativa é levar os alunos para a escola Absolon Moreira e comportar todos lá. A outra possibilidade, para os pais que não aceitarem, é que fizemos um levantamento nas escolas Craveiro Costa, Flodoardo Cabral e Dom Henrique Ruth e todas têm vagas para receber esses alunos. A secretaria já colocou para os pais e alunos que disponibilizará transporte para eles”, garantiu Rute.

A primeira escolar militar de Cruzeiro do Sul terá o nome de Colégio Dom Pedro II. O governo já definiu que o colégio terá como diretor o capitão Rômulo Barros, que deixou o comando do Batalhão dos Bombeiros para assumir a unidade de ensino. Segundo a SEE, a partir de 2020 o colégio passará a funcionar também com ensino médio.

Do G1 Acre