Alércio Dias: “estou louco para ser sabatinado”

A comissão especial que vai sabatiná-lo deverá ser formada amanhã, para depois marcar prazo da inquirição. É improvável ser esta semana.

O ex-deputado federal Alércio Dias, nomeado pelo governador Gladson Cameli, para presidência do ACREPREVIDÊNCIA, disse que viu com surpresa a recomendação do Ministério Público Estadual para que a Assembléia Legislativa vete o seu nome para comandar o órgão. Ao ser ouvido ontem pelo BLOG DO CRICA, Alércio enfatizou que, tem muita gente falando do que não conhece: “eu não fui condenado por improbidade administrativa. É só ler a sentença. Nada há assim que impeça que exerça o cargo”, explicou, Alércio falou que a recomendação do MP lhe enche ainda mais de vontade de ser ouvido pela comissão especial a ser formada na ALEAC para lhe fazer indagações. “Eu estou doido para ser sabatinado, vou levar todo o processo, podem me perguntar o que bem entenderem que irei responder. Estou preparado”, enfatizou. Negou que possa a vir retirar o seu nome da apreciação a ser feita no Legislativo, porque vê como uma grande oportunidade de aclarar de vez as errôneas interpretações acerca da sua situação jurídica. 

A OPOSIÇÃO ACHA GRAÇA, BATE PALMAS E PEDE BIS

Ontem, enquanto o deputado Roberto Duarte (MDB) mais uma vez se opunha na tribuna da ALEAC a uma medida do governador Gladson Cameli (virou rotina), desta feita pedindo a revogação do Decreto que estabelece regras para as compras pelas empresas estatais, sob alegação de que prejudica o comércio regional, um deputado da oposição me ligou do plenário, com uma pergunta cômica: “Crica, o que você está achando do nosso novo líder da oposição”? E deu uma risada. De fato, o deputado Roberto (foto) tem se notabilizado neste início de legislatura, a criticar e pedir que atos publicados pelo governo sejam anulados, num confronto aberto, resquícios do veto para ser o primeiro secretário da mesa diretora. Para o governo, Duarte tem sido mais letal que os deputados da oposição, por ter sido eleito pela aliança que apoiava Gladson Cameli. É mais letal que a oposição, porque se trata do chamado “fogo amigo”, além de ser um parlamentar preparado e que domina a tribuna de forma convincente. Deixando de lado as piadas da oposição o chamando de “novo líder”, já era esperado que o parlamentar do MDB não viesse se somar à base do governo, até pela sua impulsividade, e por deixar claro no seu discurso de posse que não faria uma atuação atrelada ao governo. Para a oposição, quanto mais desgastar o Gladson Cameli é bem melhor. E, isso feito por um aliado do governo, para os oposicionistas, é uma maravilha! E assim é a política.

PODE PENSAR EM OUTRA ALIANÇA

Com uma carreira de ter sido um bom vereador, eleito o deputado mais votado da capital, é natural que o deputado Roberto Duarte (MDB) aspire vôos mais altos, como o de ser prefeito de Rio Branco. Nesta batida que vai, é muito improvável que emplaque a candidatura na aliança pela qual foi eleito.

CONHEÇO O MDB

O deputado Roberto Duarte é do MDB. Mas, conheço os seus caciques de outros carnavais, quando seu bloco nem estava na rua. Numa batida de pedra para ver quem disputará a PMRB, o MDB jamais deixará de ficar ao lado dos empregos que tem no governo, para ficar ao seu.

CADA UM NO SEU QUADRADO

Comento o contexto da situação, mas não formulo nenhuma crítica pela conduta do deputado Roberto Duarte (MDB) de não ficar na fila do gargarejo do governo Gladson Cameli. Cada político traça o seu próprio rumo, e escolher que direção tomar é algo que só lhe diz respeito.

GOVERNO COMPLICADO

Agora, venhamos e convenhamos, o Gladson Cameli está travado neste início de governo, o Chico, o Pedro, o João, não interessa, mas ao seu lado tem de ter alguém que faça política e que tome algumas decisões de impacto, não pode se pautar só pela equipe econômica.

ERRO AMADOR

Nesta nomeação do Alércio Dias para comandar o ACREPREVIDÊNCIA, o governo deveria antes ter ouvido a PGE. Sua nomeação só podia ser feita após seu nome ser aprovado pela ALEAC.

SEM PODER DE MANDO

Esta recomendação do MP de veto ao nome do ex-deputado federal Alércio Dias para o ACREPREVIDÊNCIA não tem força jurídica decisiva. É apenas uma “recomendação”. E este é um assunto que diz respeito e tão somente ao Legislativo. É um poder independente. Se os deputados entenderem de aprovar seu nome e o MP não concordar, que entre com uma ação contra o Estado pela nomeação. A votação tem que ocorrer, como qualquer outra .

UMA CORREÇÃO

Na abertura da coluna de ontem a manchete certa era: “Fechamento da Oca foi só cogitação, diz Maria Alice”. E, não como saiu: “Fechamento da Oca foi só cogitação de Maria Alice”. Até porque, Alice é a maior defensora no governo da continuidade do empreendimento.

DESERTO DO SAARA

Poderia até se explicar se o DETRAN estivesse no Saara. Mas, como funciona na Amazônia, não há justificativa. O órgão gastar 250 galões de água mineral por dia e em 2018 pagar R$ 406 mil na compra de água, não tem como explicar. Os números loucos também vão para o combustível: R$ 1,8 milhão gasto em 2018, o que dá um consumo diário de 1600 litros. Dados do deputado Gerlen Diniz (PSB). É este tipo de situação que quebra o discurso da oposição.

CHEIO DE DEDOS

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) voltou ao parlamento cheio de dedos. Justificava se fosse um neófito, mas não, ele sendo uma raposa que conhece tudo de política. Estranho, pois, que exija que deputados da base lhe peçam desculpas por ter sido chamado de “mentiroso”, sob pena de quebrar o diálogo com a base governista. O debate não é entre monges budistas.

ORA, ORA, DONA AURORA!

Em seguida, o mesmo deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) não veio para cima do deputado Gehrlen Diniz (PROGRESSISTAS), o chamando de “potoqueiro”?. Chumbo trocado não dói. Acho que o Magalhães não entendeu que, por ser minoria, não vai pautar o debate, como quando era presidente da Assembléia e tinha o domínio do plenário. O contexto é outro.

OS HOMENS DOS VIANAS

A prefeita Socorro Neri deu uma guinada na direção de restabelecer as pazes com o PT, talvez, na esperança de ter o partido lhe apoiando numa possível reeleição. Ao nomear dois dos principais assessores do Tião Viana e do Jorge Viana para cargos de confiança, deixou clara a sua intenção. Os nomeados foram ao longo dos últimos 20 anos, as caras dos irmãos Vianas.

MAIS ÔNUS QUE BÔNUS POLÍTICO

Converso às vezes com a Socorro, boa amiga, mas não sobre política, até porque isso é uma decisão pessoal que deve ser respeitada. Mas não posso deixar de comentar que, colando a sua imagem num PT altamente desgastado, varrido das urnas, terá menos bônus e mais ônus.

NOVO DISCURSO

Os ventos indicam que não existe melhor nome para tentar uma reestruturação do PT do que o ex-senador Jorge Viana. Mas, antes tem que convencer os rivais da DR, tendência interna do PT. E também mudar o discurso que repete desde que disputou a PMRB: nós somos o novo e eles são os velhos, eles não prestam e nós prestamos, nós somos limpos e eles sujos.

ENTREVISTA EQUILIBRADA

O presidente do PT, Cesário Braga, deu uma entrevista ao BAR DO VAZ, no ac24horas, que primou pelo equilíbrio, coerência, e sem o ranço de alguns derrotados do seu partido. Foi pragmático ao dizer que o PT perdeu porque o povo não o quis mais no poder. Perfeito!

BEM MENOR

O salário do Diretor de Operações da Peixes da Amazônia, Inácio Moreira, é de R$ 8 mil e não de R$ 27 mil, como foi divulgado no espaço. Fica feita a devida correção do valor.

CHÁ DE PAPAGAIO

A deputada Maria Antonia (PROS), que não é muito afeita á tribuna, foi ontem e pediu logo ao governo a construção de três pontes: as de Rodrigues Alves, Brasiléia e Xapuri. E ainda pediu a conclusão do anel viário, em Brasiléia. Tomou chá de papagaio, quase não cessa a fala.

NÃO MENTIU

O deputado Daniel Zen (PT) não mentiu quando disse que a presidente do SINTEAC, Rosana Nascimento, tinha colocado parentes em cargos de confiança, na Educação. Dizem que vem mais, por enquanto, como nomeados estão um filho e uma filha. É só olhar o Diário Oficial.

NENÉM ATACA

O deputado Neném Almeida (SD) tem sido sarcástico em relação aos ataques de deputados da oposição ao governo Gladson Cameli. “Estiveram 20 anos no governo, destruíram a saúde, educação, segurança, e querem cobrar de um governo de pouco mais de um mês?” Ironizou.

COMO JOGAR NA MEGA E ACERTAR

Ontem, o expediente da mesa diretora da ALEAC foi lido pelo deputado Chico Viga (PHS). É uma raridade ouvir a voz do Chico, que costuma cumprir o mandato sem ocupar a tribuna.

ENSABOARAM A DISCUSSÃO

Estão dando um tom que não tem a este decreto do governo Cameli que regula as compras governamentais. Depois de se ter um preço básico não há quem impeça nenhuma empresa de fora de participar de qualquer pregão eletrônico ou presencial. Ensaboaram a discussão.

VAMOS AOS NOMES

O deputado Cadmiel (PSDB) denuncia que os médicos de Feijó estão tratando mal aos pacientes. Vamos ser mais claros, “médicos” é genérico, os nomes dos médicos ou medico?

DISCUSSÃO BOA

Por qual razão não discutir na ALEAC o pagamento antecipado de ICMS? Pergunta que fez ontem o deputado Luiz Tchê (PDT). Acrescento: e o ICMS do combustível e da energia?

NÃO ME CAUSA SURPRESA

Todo dia chega notícia de nomeações de petistas para cargos no governo. Ficou algo tão corriqueiro que não me causa espanto. Não demora e os petistas serão maioria no governo.

DISPARADAMENTE MELHOR

De saída já dá para se dizer que os debates nesta legislatura que se iniciou na Assembléia Legislativa são mais qualificados do que os da legislatura anterior. Constantes e com maior substância dos debatedores. E bom que seja assim. Um parlamento é o lugar onde devem ser travadas as discussões políticas sem melindres e de forma aberta e transparente. Quem está ocupando cargo público vai ter que se acostumar com as críticas, não tem que ficar choramingando quando é citado, é só dar a sua versão, exercendo o contraditório. E sobre a oposição é extremamente necessária para que, os que ocupam o poder não se acomodem e não pratique algum mal feito.