Esta é a primeira vez que um Prefeito de Assis Brasil paga a conta com o nariz

Dívida do Lixão: Quem estava presente na hora do murro ficou estarrecido, dizem que no lugar da cabeça ficou as pernas.

Prefeito Zum levou uma pauleira entre os dois olhos de cima pra baixo que acertou até o nariz, a agressão seria proveniente de uma suposta dívida de trabalho feito no Lixão da cidade, dizem que a conta chega a R$ 150.000,00. Mas segundo o Prefeito Zum ele não contratou direto com este rapaz da mão pesada.

Pense num Murro

Mas quem deu o primeiro tapa foi o Prefeito, foi debaixo do queixo, também o homem queria se acampar na casa do Prefeito.

Pedaço

O Zum Zum Zum só é pequeno no tamanho, mas também não é pedaço, deu a primeira porrada; dizem que o nariz do Prefeito não presta mais, se esbagaçou todo com o murro que levou. O homem tinha uns dois metros de altura e dizia: “Eu vou receber de qualquer jeito”.

Baixaria

O trabalho que o homem fez no lixão rendeu uma baixaria nas repartições da Prefeitura, os funcionários correram para debaixo da mesa, onde uns diziam “Socorro me dá um copo d’água”. O Prefeito não quis registrar B.O, mas fez um curativo no que lhe sobrou do nariz.

Filhos e Netos

Essa é história para mil anos onde será contadas para: Filhos, netos, escacha netos, enverga netos, enfim são netos netos netos netos sei lá são tantos na linha de sucessão para saber da história do murro.

Beleza não se põe em Mesa

Sílvia Pacheco foi designada para responder pelo Núcleo de Educação em Brasileia. Dizem que Silvia foi escolhida pela Beleza, mas desde quando Beleza é sinônimo de Competência. A mesma é Ligada ao MDB do mestre Guru, mas vale ressaltar que não estamos afirmando que Silvia não tenha competência, apenas achamos que beleza não é requisito para se escolher para ocupar cargo.

90 Dias

Se a sobrinha da ex-vereadora Alda Pacheco conseguir passar dos 90 dias a frente do Núcleo de Educação será considerada uma Guerreira, mas irá precisar de muita Doralgina pra dor de cabeça.

SEDUP

Segundo Informações a Professora e ex-vereadora Alda Pacheco poderá assumir o SEDUP em Brasileia.

Meu Governador

O Prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, admite sim um processo de alinhamento com o Riquinho do Juruá e foi mais longe ao dizer que toda Prefeitura precisa do governo e do governador, Gladson foi feliz quando disse em uma reunião com todos os Prefeitos: “Nosso Governo já desceu do palanque e vai governar para todo o Acre”.

Apoio do Passado

O riquinho do Juruá anda visitando os produtores de Soja, plantio de milho e outros. Cameli deveria saber que todos os produtores tiveram apoio do Governo passado.

Governo Cruel

O Governo não vai pagar a metade do décimo terceiro por crueldade com os servidores públicos. Também quer manter aceso o discurso do atraso. Se quiser pagar, dinheiro tem de sobra, pois recebeu R$ 125 milhões a mais. A folha residual é de R$ 54 milhões. Pena que a Politicagem fale mais alto do que o interesse dos servidores!!!

Despetizou

O jovem Governador poderia aprender com a Prefeita Socorro Neri. Eleita ao lado do petista Marcus Alexandre, com a caneta na mão ela realmente despetizou a prefeitura.

Trapalhada

O porta-voz virou diretor; caiu a patente e o salário. Fizeram trapalhada na reforma.

O Futuro da Emater

É incerto achando que não estava bom, a maioria dos servidores da Emater votou no candidato da “mudança”. Mudaram tanto, que estão com o destino incerto. Semana passada foram perguntar ao secretário Paulo Wadt como será o amanhã e receberam a incerteza como resposta. Palavras de Wadt: – Se eu fosse o Silvio Santos, eu faria um bolão para ver o que vai acontecer. São coisas difíceis de responder agora. Vou estar com uma pessoa daqui a pouco e, depois, tomar uma posição. Trazido de Rondônia pelo vice Major, Wadt também é proprietário de um cemitério na cidade paulista de Mococa.  Não terá dificuldade de enterrar a empresa responsável pela assistência técnica.  Esperar para ver.

Acho Que Comi Mosca

Leonildo Rosas foi secretário de Comunicação e deixou de pedir a nomeação de um monte de gente. Vendo o Diário Oficial, ficou sabendo que havia várias diretorias e departamentos, que deixaram de ser preenchidos.  E, pelo o que consta, extinguiram a Fundação Aldeia de Comunicação. Pelo menos, ela não aparece na Lei Complementar nº 355, de 28 de dezembro de 2018. De onde “buiaram” os cargos?

Letras Garrafais

Mais uma vez, ainda no intuito de atingir o governo passado, o site do chantagista comete uma “barrigada”. Em letras garrafais, anuncia que o atual governo não poderá contrair empréstimos com a garantia da União. Dessa vez, no entanto, a notícia errada tem sustentação na fonte errada. A Folha de S.Paulo não checou direito. Conversei com o ex-secretário de Fazenda Neto Thaumaturgo e ele declarou: – A informação é desatualizada. A não ser que o atual governo tenha deixado de pagar a parcela do último dia 7. Nós pagamos tudo. O site do chantagista também está parcialmente isento de culpa porque o portal de transparência do governo está fora do ar desde os primeiros dias do ano. Não dá para ver as contas pagas e recebidas em 2018. O que é muito estranho. Analfabetismo em contas públicas não é recomendável para quem diz quem pretende “governar”

Gravou

A denúncia contra o vereador Ronaldo Onofre, preso na tarde desta terça-feira (15), em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, partiu do prefeito Ilderlei Cordeiro que teria recebido a proposta do parlamentar pela manhã e à tarde gravou a reunião com o vereador, que cobrava R$ 200 mil para deixar de criticar e passar a apoiar as ações da prefeitura.

Proposta

De acordo com o delegado Alexnaldo Batista, o prefeito teria sido procurado pela manhã quando participava da solenidade de posse dos novos diretores das escolas municipais. Logo que saiu do ato, o vereador teria chegado para o prefeito e feito a proposta.

200 mil

“As investigações estão concluídas e o vereador foi preso em flagrante por corrupção passiva. O valor total desse montante que ele cobrava era de R$ 200 mil em troca de apoio político. Foi muito citada a palavra bater. As vítimas alegam que o vereador e pararia de bater na prefeitura, parar de fazer denúncias e toda essa conversa entre esses envolvidos foi avaliada e no vídeo, infelizmente, não resta dúvida de todo ocorrido”, afirma o delegado.

Aeronaves

Ministério Público do Trabalho avalia que a venda da Embraer para a Boeing resulte em demissões em massa; “Trata-se da terceira maior fabricante de aeronaves do mundo, tem mercado consolidado e é líder mundial na fabricação de jatos de 70 a 130 assentos, com 51% do mercado em pedidos líquidos acumulados desde 2004”, diz o MPT     

Os Conflitos

“Além de todas as consequências funestas, desastrosas e nenhum aspecto positivo, o programa Mais Armas do governo Bolsonaro é uma ameaça à democracia”, avalia o colunista Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia; “Os conflitos no campo vão se multiplicar. As armas não serão usadas para os capatazes se defenderem de bandidos, mas para atacarem o MST, contra quem as baterias já estão voltadas”.

Não Ar Dinheiro

A TV Globo apresentou na noite desta segunda-feira uma paródia do governo Bolsonaro com uma contundente crítica ao regime recém-instalado; Bolsonaro foi apresentado como Jair, o novo dono da Vila Militar do Chaves, numa paródia do seriado mexicano; foi no programa “Tá no Ar: A TV na TV”, no quadro estrelado pelo comediante Marcelo Adnet; logo que “Jair” apareceu, Chiquinha bradou o slogan que marcou a campanha eleitoral: “Ele não!”; assista

Mídia da Família Marinho

Ano de 2019 pode ser um dos mais difíceis da história do conglomerado de mídia da família Marinho; presidente Jair Bolsonaro já defendeu um projeto de lei que acabe com o ‘bônus de volume’, o BV, que tornou a Globo líder absoluta do mercado de publicidade no País; agora a chegada da CNN Brasil, sob as mãos de Rubens Menin e de Douglas Tavolaro, biógrafo oficial do bispo Edir Macedo, promete disputar a audiência diretamente da Globo News e sacudindo o mercado jornalístico da televisão; Marinhos irão retaliar?

Justiça Social

Jornalista Gilvandro Filho, do Jornalistas pela Democracia, compara as primeiras impressões deixadas pelos governo de Lula e de Jair Bolsonaro; “Lula cumpriu o que prometeu. Ao dar comida aos mais pobres, não decepcionou o seu eleitorado. Pelo contrário, levou o Brasil a um patamar de igualdade, inclusão e justiça social que nem seus críticos encontram argumentos para contestar. Bolsonaro, em seus primeiros dias de governo, cumpre o que prometeu. Ao armar uma legião de valentes, não decepciona o seu eleitorado. Pelo contrário, anima a galera, ao abrir uma brecha sombria e imprevisível para o que acontecerá nas esquinas, nos bares e nos lares do Brasil.

Tereza Cristina

Por meio de sua página nas redes sociais, a modelo brasileira Gisele Bündchen rebateu a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que acusou a modelo de criticar o Brasil “sem conhecimento de causa”; Gisele disse que lhe causou “surpresa” as críticas feitas a ela e a menção de seu nome “de forma negativa por defender e me manifestar a favor do meio ambiente”.

Porta-voz

“Nos governos militares, que não deixaram saudade para os democratas, os porta-vozes e secretários de imprensa costumavam ser civis. Eram escolhidos entre jornalistas ou diplomatas”, diz Ricardo Kotscho, do Jornalistas pela Democracia; “Agora, num governo democraticamente eleito, teremos como porta-voz um general três estrelas da ativa, Otávio Santana do Rêgo Barros, que até aqui era chefe da Comunicação Social do Exército”, reforça; “O governo precisa definir uma política de comunicação civilizada para orientar o relacionamento com a sociedade, a imprensa e os profissionais da área”.

Planalto

O encontro entre Jair Bolsonaro e o presidente argentino Maurício Macri no final da manhã desta quarta-feira no Palácio do Planalto foi de convergências entre os dois presidentes, um de extrema-direita, o brasileiro e outro de direita, o argentino -ambos representantes dos interesses dos Estados Unidos em seus países e na região; de maneira orquestrada, coube a Macri bater duro no presidente venezuelano, Nicolas Maduro, a quem chamou de “ditador”, enquanto a Bolsonaro cumpriu defender um enxugamento do Mercosul.