Mesmo com pressão oficial, José Adriano é favorito para vencer na Fieac

Nos bastidores das eleições da Fieac, que caminha para ser definida  por 7 a 3 em favor do empresário José Adriano, chega a informação de  que a histeria de alguns membros da chapa do João Salomão é grande. 

Atônitos, esses empresário estariam usando a pressão como instrumento. Alegam falar em nome do próprio do governador.

A situação é tão alarmante, que secretários de Estado chamaram reuniões com moveleiros e gráficos sob o pretexto de falar de propostas para os setores. Mas, na verdade, o objetivo é o de pressionar os mesmos para  assinar termos de apoio a Salomão.

Tem empresários querendo mostrar serviço para o governador, inflamando  os sindicatos. Como exemplo Aristides Júnior (Cerâmica), a vice do Singraf Jaqueline e e o vice do Sincon Abraão Mendes (Confecções), que estariam inventando a realização de Assembleias ilegítimas, com a clara finalidade de tumultuar o processo.

Esse Abraão, que é empresário do setor de confecções, é o mesmo que muito vende  uniformes nas escolas públicas e sempre se beneficiou com o Governo do PT.

Ele se beneficiou com as bênçãos de dirigentes da Secretaria de Pequenos Negócios, com a criação de uma cooperativa. Por isso,  tem muito a se explicar com seu setor, pela forma pouco moral que conduziu o processo. Ele também é proprietário de uma indústria de frango, que foi implantada com recursos públicos.

Mendes foi o principal cabo eleitoral da ex-secretária Silvia Monteiro junto às mulheres que receberam máquinas de costura.

Hoje, último dia útil da semana, os agentes da chapa de Salomão deverão procurar todos os empresários, usando todos os meios para forçar que membros da chapa de Adriano assinem termos de renúncia.

José Adriano já levou este fato para o MPF e PF. Se algum  empresário assinar apresentar termos de renúncia. certamente deverá ser chamado aos órgãos federais para dar explicações.