Flaviano quer MDB protagonista na Assembleia Legislativa

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, defendeu ontem a participação do partido na mesa diretora da Assembléia Legislativa, na figura do deputado Roberto Duarte (MDB).

Flaviano lembrou a importância e o peso do MDB na eleição do governador Gladson Cameli e defende que, ele intervenha no sentido de que o pleito do MDB venha a se concretizar. Lembra Flaviano Melo que o partido tem os três deputados mais votados da próxima legislatura, dois deputados federais e um senador, o que o credencia a ocupar a primeira secretaria do Legislativo. Acha importante que o governador tenha participação nesta discussão.

COMBINARAM COM OS DEMAIS DEPUTADOS?

Chegou informação à coluna de que para a retirada da candidatura do deputado Géhlen Diniz (PROGRESSISTAS) à presidência teria havido um acordo de bastidores, pelo qual a retirada seria condicionada à ida do deputado Wendy Lima (PSL), apoiador de Géhlen, para a primeira secretaria da mesa diretora. Cabe uma perguntinha breve: combinaram este acordo com os demais deputados, com os partidos? Acordo de três num universo de 24 é temerário.

SALDO SANGRENTO

Nos últimos quatro anos 1.400 pessoas foram executadas, no Acre. O sangrento saldo acaba com qualquer tentativa de se mascarar a realidade. O Estado está no topo nacional da violência. Não me venham com gráficos. Os números frios da chacina são incontestáveis.

COR É DETALHE

Que coisa disparatada, a ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, berrar que: agora “menino veste azul e menina vestirá rosa”! O que nossas crianças precisam é de um sistema educacional de qualidade, saúde e alimentação. Cor de roupa não muda a personalidade.

NÃO EMBARCO NO RADICALISMO

Não votei no Hadad (PT). Mas não significa dizer que terei de concordar com disparates religiosos. Não é a cor que vai traçar a trajetória sexual de uma criança. A menina usar um vestido azul é incentivo a ser sapatão? O menino usar uma blusa de cor rosa vai lhe tornar gay? Que Loucura!

CADA QUAL NO SEU QUADRADO

Com todos os cargos comissionados exonerados o governador Gladson Cameli terá a oportunidade de colocar em cada posto pessoas com qualificação para o setor. Não é preciso ter pressa e nem entrar na ciranda de aceitar pacotes de afilhados incompetentes indicados por políticos. Tem de ser qualificado. E olhar para ver quem de fato estava na sua campanha.

RELAÇÃO COM A IMPRENSA

Pelo menos da parte que me toca a relação do novo governo com a imprensa tem sido de respeito mútuo, sem ataques de faniquitos por matérias não simpáticas, fornecendo as informações, enfim, como deve ser: cada um no seu quadrado e sem tentar censurar.

ACABAR COM ESTA MIUDEZA

Alguns secretários têm que acabar com denúncias de miudezas, como falta de café, de papel higiênico e etc. Se não tiverem condições de resolver o trivial, melhor pedir logo o boné. Denúncias têm de ser feitas se tiver, por acaso, sumido algo de valor de uma secretaria.

ESTÁ SENDO PRAGMÁTICO

Agrada quando o novo governador dá o tom da eficiência exigida na iniciativa privada ao seu secretariado. De fato, tem que acabar com a cultura de que por se estar num cargo público não se deve ser eficiente. É plausível fixar que, em 120 dias, ou mostra trabalho ou é rua.

CABEÇA DURA

O Tião Bocalom (PSL) tem apanhado na política por ser cabeça dura e não ser pragmático. Poderia ser hoje deputado federal, caso tivesse sido candidato pela coligação do Cameli. Teve mais votos na fraca chapa do PSL que muitos eleitos, mas faltou legenda. Entra agora para o tapetão. É improvável que assuma no lugar do deputado federal eleito Manuel Marcos (PRB).

ATÉ O CABO DA GUARDA SABIA

Foi amadorismo. É uma norma clara no Estatuto dos Militares que o tenente-coronel Antonio Velasquez não poderia assumir o comando do Corpo de Bombeiros Militar. A ocupação do cargo é específica para Coronel. Até o cabo da guarda sabia disso. Menos o vice, Rocha?

MORTO DE CURIOSIDADE

Estou louco de curiosidade para ver a análise do senador derrotado Jorge Viana (PT), sobre o fracasso acachapante seu e do partido na última eleição, no Acre. Entrou em mutismo. Está no mato se cachorro: não poderá falar sobre causas da derrota, sem incluir o governo do irmão.

CASA DE FERREIRO, ESPETO DE PAU

O Jorge Viana costuma muito usar a palavra “reinventar”. A questão é que não aplica á sua pessoa. Jorge veio para a última eleição com o velho e surrado discurso da primeira campanha de quando ganhou o governo: nós queremos trabalhar pelo Acre, a oposição quer ganhar para se locupletar. Isso era tão velho como Matusalém. Fez um discurso de oposição de quem estava no governo. Outro erro foi achar que colaria a imagem do Temer na oposição. Erros
amadores.

PT VARRIDO DO SENADO

Com a posse da senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS), na legislatura que se inicia em fevereiro, o PT foi varrido do mapa da bancada federal acreana do Senado, com a derrota do Jorge Viana. Teremos Márcio Bittar (PSDB), Sérgio Petecão (PSD) e Mailza Gomes (PSD). Tudo Bolsonaro.

MOSTRA MAIORIA

A posse do Cesário Braga, que não era o preferido dos cardeais, na presidência do PT, mostra que, quem continua dando as cartas no partido é a tendência DR, Leia-se: Carioca e Cia LTDA.

QUESTÃO DE HONRA

Passou a ser questão de honra do grupo político que assumiu o governo ganhar a presidência da FIEAC, derrotando José Adriano, um adversário declarado da atual administração.

CIDADE DO MEDO

A nova equipe da Segurança terá que mudar a má fama da Cidade do Povo, dominada péla violência, onde órgãos públicos são saqueados e virou um lugar dominado pelos bandidos.

COMEÇOU A CONTAGEM

O secretário de Segurança, Paulo César, deu 10 dias para a população começar a se sentir mais segura. Torço que dê certo. Que não fique na emoção. A contagem está em curso, Coronel!.

VAI VIRAR UMA LOUCURA

Em conversa ontem com um amigo e médico experiente, este fez uma previsão, que mesmo como leigo, acho que é isso mesmo: “se nas UPAS a população não resolver os seus problemas, com um atendimento médico rápido e eficaz, o PS ficará sobrecarregado”.

ATENDIMENTO PÉSSIMO

Ontem, estava o mal atendimento de sempre na UPA da SOBRAL, com apenas um médico.

TEM QUE BUSCAR MUDANÇAS

Mas é muito cedo para cobrar que vícios antigos sejam sanados em três dias de gestão.

NADA MAIS ANTIPÁTICO

Ainda não foi definido quem será o líder do governo na Assembléia Legislativa. Não existe função mais antipática e destruidora de políticos, do que ser líder de governo seja qual for.

CHAMA QUE EU VOU

O deputado Manoel Moraes (PSB) disse que vai primeiro analisar o governo Gladson Cameli, para saber se somará no seu apoio. Foi um recado nas entrelinhas: chama que eu vou.

BANCADA DO BATOM

A bancada do batom na Assembléia Legislativa será composta por quatro deputadas: Antonia Sales (MDB), Meire Serafim (MDB), Maria Antonia (PROS) e Juliana Rodrigues (PRB).

ALVO DE HOSTILIDADE
Não sei se será mantida a licença-prêmio do ex-governador Tião Viana. Deverá sofrer discussão no âmbito do governo. Mas

sei que seria temerário não ficar um bom tempo afastado da cena política, porque é natural pelo clima existente, que ele seria hostilizado pelas ruas.

ELEIÇÃO TERMINO

A eleição terminou. O povo deu seu veredicto. Agora, quem foi derrotado é se recolher para lamber as feridas e os vencedores começarem a cumprir as promessas de campanha. Ponto.

RECESSO

Os deputados da atual legislatura vão permanecer com os mandatos até 31 deste mês. Só voltariam ao trabalho se houvesse uma convocação extraordinária pelo governo para votar projetos enviados pelo Executivo. Fora isso, eles vão permanecer em recesso.

CAMINHO ERRADO

O furto das baterias que alimentavam o sistema de informática do governo foi visto pelo vice-governador Major Rocha como uma “sabotagem”, mas já existe pista dos autores e as prisões serão conseqüência. “O importante é saber quais foram os mandantes”, pontua Rocha.

FORÇA TAREFA MONTADA

O vice-governador Major Rocha disse ontem ter muita fé no trabalho da Força Tarefa montada para investigar com lupa cada ato praticado por secretários e pelo ex-governador. Há muita coisa que passa batido ao controle das fiscalizações rotineiras, enfatizou o vice-governador.

UMA DESATENÇÃO

Nada que possa ser visto como ato desabonador a repetição de atos de exonerações feitos pelo atual governo. No máximo uma falta de atenção. Só que não deveria ter acontecido.

NA MIRA

Na alça de mira das investigações, estão as promoções acontecidas no sistema de Segurança Pública. Foi o que me disse ontem uma figura com livre trânsito nas esferas palacianas.

É PRECISO UM MILAGRE

Não sei como se comportará o governo Gladson Cameli, mas acho que mesmo se esforçando para ser ruim ao máximo, ainda assim teria dificuldade de superar a última administração.

O CAMINHO DAS PEDRAS

Flaviano Melo (MDB), que já foi prefeito de Rio Branco, governador, senador, e é deputado federal, deu ontem a receita para o governador Gladson Cameli fazer uma gestão grande e que fuja da mesmice de depender do Fundo de Participação dos Estados: cavar recursos extra-orçamentários em instituições financeiras nacionais, como o BNDES, não pode ficar apenas no feijão com arroz da administração paroquial. O sucesso da sua gestão passa por Brasília,
enfatizou o presidente do MDB. É a voz da experiência. E a expectativa de quem votou é imensa.