Bolsonaro nomeia para a presidência da Caixa genro de empresário condenado e preso na Lava Jato

Léo Pinheiro está condenado a 5 anos e meio de prisão, sua pena foi diminuída após ele delatar Lula sem provas.

Pedro Duarte Guimarães, escolhido por Paulo Guedes para a Caixa, é genro do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro – preso pela Lava Jato.

Guimarães é sócio-diretor do Banco Brasil Plural, fundado por? Rodolfo Riechert e citado pelo delator Lúcio Funaro em operações estranhas envolvendo o Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Pedro Guimarães tem experiência na área financeira, onde é bem conceituado. A atuação dele foi em empresas privadas, e o desafio agora será no setor público.

A Caixa é um banco enorme. Guimarães recebeu a missão de reduzir sua estrutura, mas em diversas cidades menores a Caixa é a única instituição bancária presente.

A gestão passou por um ajuste grande nos últimos anos. Conseguiu reverter um rombo sem pedir dinheiro ao governo. Ana Paula Vescovi, hoje secretária-executiva do Ministério da Fazenda, comandou o trabalho como presidente do conselho do banco. Guimarães vai encontrar a casa arrumada quando chegar à Caixa.

O executivo é genro de Leo Pinheiro, da OAS, e não teve nenhum envolvimento com qualquer denúncia até aqui.