Cabeleireira esfaqueada por usuário de droga recebe alta e está traumatizada, diz família

Gessilda Rosas foi esfaqueada por morador de rua que alimentava. Vítima perdeu um rim.

Nove dias após receber alta do Hospital do Juruá, a cabeleireira Gessilda Rosas, de 52 anos, tenta se recuperar do trauma vivido no último dia 12. Ela foi esfaqueada por um usuário de drogas que sempre pedia ajuda no local em que ela trabalhava no Centro de Cruzeiro do Sul.

Gessilda recebeu alta na segunda-feira (24) e passou o Natal e a virada de ano com a família. Ela ainda não tem condições emocionais para falar do que aconteceu, mas, segundo o genro da cabeleireira, Mateus Siqueira, da lesão provocada pela faca e da cirurgia para a retirada de um rim, ela já está sem complicações.

“Ela já não tem mais dores, está caminhando e a recuperação está ocorrendo bem”, disse Siqueira.

A vítima prefere não falar sobre o caso para evitar as lembranças do ato de covardia que sofreu de um homem que ela ajudou durante vários anos. Vanderlanio Lima, de 40 anos, chegou ao local de trabalho de Gessilda e, depois de arrastar a mulher pelos cabelos e agredi-la com socos, desferiu uma facada nas costas da vítima.

Para a família, a cabeleireira contou que o acusado teria tentado contra a vida dela, porque ela não queria mais que ele frequentasse seu local de trabalho, pois estava perturbando os clientes. Araújo morou por algum tempo sem pagar aluguel em um apartamento da vítima e sempre recebia comida doada por Gessilda.

O acusado, que e usuário de droga, foi preso no mesmo dia do crime e continua na penitenciária de Cruzeiro do Sul, onde deve aguardar decisão da Justiça.

Por Mazinho Rogério, G1