Milhares acompanham festa da virada e dão boas-vindas a 2019 na Gameleira, em Rio Branco

Show pirotécnico durou 15 minutos. Festa da virada ocorreu no Centro da capital acreana.

 

Milhares de pessoas se reuniram na Gameleira, em Rio Branco, na madrugada desta terça-feira (1º), para ver a chegada de 2019. Na expectativa de um ano melhor, acreanos de nascença e de coração aguardaram juntos a entrada do novo ano.

Durante o espetáculo dos fogos, o público aplaudiu, se abraçou e se surpreendeu com o show de luzes. A novidade esse ano foi que 30% do barulho dos fogos de artifício foi reduzido. Dentre os pedidos estavam menos violência e mais paz.

Assim como todos os anos, o Acre, devido ao horário de verão, foi o último estado a comemorar a chegada de 2019. O estado acreano fica com uma diferença de 3 horas em relação à Brasília. O evento iniciou às 20h, da segunda-feira (31), e deve terminar 1h de terça (1º). Alguns artistas musicais animam o público com apresentações.

Pedidos para 2019

A jovem Rafaela de Araújo, de 20 anos, diz que toda vez que dá meia noite ele procura agradecer a Deus e fazer os pedidos que quer realizar no novo ano. Em 2019, ela pretende arrumar um emprego.

“Agradeço pela minha saúde e da minha família, peço prosperidade, alegria. Em todo ano que se inicia eu acredito que vai ser sempre melhor e que tudo vai dá certo”, falou.

Já a autônoma Luciana Melo, diz que entra o ano pedindo a Deus mais amor, saúde para todo mundo e, principalmente, para a família. “Quero que seja um ano em que a gente possa prosperar e conquistar todos os sonhos e desejos”, falou.

A aposentada Raimunda Moraes, conhecida como Raimundinha, acredita que esse ano o sonho da casa própria vai se concretizar. “Quero construir uma casa, quero também que todos os brasileiros melhorem de vida e tenham paz e que os sonhos de todos sejam realizados”, falou.

Lucro no Ano Novo

Gecivaldo da Cruz Soares 42 anos, todos os anos vende pipoca com a esposa e disse que, como em todos os anos, nesse está vendendo bastante.

“Chegamos cedo e ficamos até o fim da festa ou até quando tem material para vender. Sempre vale a pena vir, é bom passar a virada de ano trabalhando. Pedi por um ano com menos violência e mais saúde para todos”.

Já Francisco Inácio de Souza, de 54 anos, que é vendedor de raspadinhas, diz que só sai quando vender tudo o que levou.

“Tem oito anos que trabalho aqui na Gameleira. As vendas estão muito boas, a expectativa é vender uns R$200. O sabor que mais sai é morango, menta groselha, céu azul e amendoim”, finalizou.

Do G1 Acre