Acusados de matar pizzaiolo durante assalto são condenados a mais de 56 anos no Acre

Ao todo, quatro foram condenados pela morte de Júnior da Silva. Pizzaiolo foi morto em janeiro desse ano no bairro Placas, na capital acreana.

Os quatro acusados de matarem o pizzaiolo Júnior César Pontes da Silva, de 19 anos, durante um assalto no dia 15 de janeiro deste ano em Rio Branco, foram condenados a mais de 56 anos. A decisão foi do juiz Raimundo Nonato Maia.

Entre os acusados estão Pablo Ramon da Silva, Danilo Maia de Lima e Peterson de Souza, ambos condenados por latrocínio. Além de Daniel Silva Gomes, condenado por receptação. Silva e Lima receberam pena de mais de 23 anos, Souza foi condenado a mais de nove anos e Gomes a um ano.

A defesa de Silva informou que deve recorrer da decisão. Segundo o advogado Max Elias da Silva Araújo, não há elementos suficientes que possibilitem a condenação do homem. A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos demais acusados.

“Pelo contrário, transmite dúvida, uma vez que as narrativas são opostas, assim comprovadas facilmente pela avaliação do depoimento prestado pela vítima viva e testemunha ocular do fato. Além de não reconhecer com precisão os autores da empreitada criminosa, acaba por prestar um depoimento recheado de contradições”, disse o advogado.

O segundo ponto levantado pela defesa é que o elemento que gerou a acusação contra seu cliente foi a mudança do depoimento do outro réu, Gomes. Segundo o advogado, no primeiro depoimento, Gomes era o principal suspeito do crime de latrocínio, mas mudou e passou a acusar Pablo e Danilo.

“A Defesa acredita que a sentença seguiu uma linha de avaliação equivocada, por isso já efetuou a recorrência, pois Pablo Ramon é de fato inocente”, declarou Araújo.

Conforme a sentença, Silva e Lima foram condenados a mais de 23 anos de prisão em regime fechado e não tiveram o direito de apelar em liberdade. Já Souza foi condenado a mais de nove anos em regime fechado, mas com o direito de apelar em liberdade. Gomes foi condenado a um ano em regime aberto.

Latrocínio

O pizzaiolo morreu após ser baleado no pescoço durante um assalto. O crime ocorreu na madrugada do dia 15 de janeiro deste ano, no bairro das Placas, em Rio Branco.

Silva voltava de bicicleta do trabalho com um colega quando foi assalto. Conforme a Polícia Civil, o pizzaiolo e o amigo entregaram os pertences para os assaltantes, que estavam em uma motocicleta. Mas, quando estavam indo embora, o garupa atirou contra as vítimas e acertou Silva no pescoço.

Por Iryá Rodrigues, G1 Acre