Em Cruzeiro do Sul, apenas metade das vagas deixadas pelos Médicos cubanos foi ocupada

Das 12 vagas apenas seis foram preenchidas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Secretaria Municipal de Saúde informou que seis vagas ainda seguem disponíveis.

Das doze vagas deixadas pelos médicos cubanos em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, seis foram preenchidas pelo Programa Mais Médicos e os profissionais já estão em atividades nas unidades básicas de saúde.

No entanto, o município além de precisar preencher a outra metade das vagas para atender a demanda, ainda tem a carência de mais dois médicos que faziam para do Programa da Saúde da Família e optaram por trabalhar em outra cidade.

Na primeira edição de 2018 do Programa Mais Médicos, Cruzeiro do Sul teve o número total de vagas preenchidas por profissionais que demonstraram interesse em trabalhar no município. Mas, de 12 inscritos, nove se apresentaram e, desses, três desistiram de homologar os contratos. Com isso, apenas seis já estão atuando. Faltam ainda seis vagas deixadas pelos médicos cubanos a serem preenchidas.

Além dessas, a segunda maior cidade do Acre, que tem mais de 86 mil habitantes, tem mais duas vagas abertas do Programa de Saúde da Família, por conta de dois profissionais que deixaram a cidade e optaram em trabalhar, pelo Programa Mais Médicos, nos municípios vizinhos de Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é que as outras seis vagas sejam ocupadas na segunda edição do programa, que teve o período de inscrição de 11 a 14 de dezembro. De acordo com a secretária de saúde do município, Luciana Pereira, enquanto isso, algumas unidades de saúde continuam com o atendimento reduzido.

“Onde está mais prejudicado é na zona rural, porque tivemos que distribuir a carga horária dos médicos existentes. Por exemplo, o médico que atende na unidade da 25 de Agosto, atende também em outra unidade. Fizemos uma escala de trabalho para que toda unidade fosse contemplada com serviço de médico. Agora, é claro que o atendimento acabou sendo reduzido e existem unidades que não tem médico todo dia”, disse Luciana.

A secretaria não informou como vai contratar profissionais para ocupar as vagas deixadas pelos dois médicos que foram trabalhar em outros municípios. Cruzeiro do Sul conta com 39 equipes de Saúde da Família e atualmente tem 31 médicos trabalhando nas unidades básicas de saúde.

Por Mazinho Rogério, G1