Quase metade da população do Acre vive na linha de pobreza, diz IBGE

Ao todo, 47,7% dos acreanos são pobres e 17,4% enfrentam a extrema pobreza. Síntese de Indicadores Sociais foi divulgada pelo IBGE.

Metade da população do Acre vive em situação de pobreza com renda mensal de meio-salário mínimo, diz Abrinq — Foto: Iryá Rodrigues

Quase metade da população do Acre está na linha de pobreza, conforme a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados mostram que 47,7% dos acreanos viviam em situação de pobreza em 2017.

Apesar do número alto, a pesquisa apontou que a situação de pobreza no Acre se manteve estável. Em 2016 o percentual de pobres era de 47,6% e no ano passado 2017 esse número se elevou minimamente para 47,7%.

O IBGE considera na linha de pobreza quem possui rendimento inferior a US$ 5,5 por dia, o que corresponde a cerca de R$ 406 por mês. Essas linhas foram definidas pelo Banco Mundial para acompanhar a pobreza global.

É considerada em situação de extrema pobreza quem dispõe de menos de US$ 1,90 por dia, o que equivale a aproximadamente R$ 140 por mês. No Acre, proporção de pessoas vivendo na extrema pobreza era de 17,4%.

Em toda a região Norte, 11,8% da população vivia em situação de pobreza extrema. Além do Acre os estados do Amazonas, Pará, Amapá, Piauí, Ceará, Alagoas e Bahia também tinham quase metade da população pobre.

Em apenas um ano, o Brasil passou a ter quase 2 milhões de pessoas a mais vivendo em situação de pobreza. De acordo com a pesquisa, em 2016 havia no país 52,8 milhões de pessoas em situação de pobreza no país. Este contingente aumentou para 54,8 milhões em 2017, um crescimento de quase 4%, e representa 26,5% da população (em 2016, eram 25,7%).

Falta de banheiro e condições de moradia

A pesquisa do IBGE também apontou que o Acre tem o maior índice de ausência de banheiro de uso exclusivo do domicílio, no to tal a cada mil pessoas 18,3 não tinham acesso, ou seja, 8,5% da população.

Pesquisa mostra que 8,5% da população não têm acesso a banheiro de uso exclusivo — Foto: Francisco Rodrigues Pedrosa/Arquivo Pessoal

Na capital a proporção a cada mil pessoas é de 2,5 não têm acesso a banheiro exclusivo e com condições adequadas. A porcentagem da falta de acesso em Rio Branco é de 23,4%.

Além disso, 14,3% dos acreanos informaram que tinha gastos excessivos com aluguel. Em Rio Branco o percentual é ainda maior, total de 15,1%.

Os dados do IBGE mostram ainda que 20% da população tinha moradias com paredes externas construídas com materiais não duráveis. No total de pesquisados, 15,9% informaram que tinham ao menos uma inadequação em casa.

Falta de saneamento

A cada mil acreanos quase 24 não tinham coleta de lixo direta ou indireta, total de 6,1%. Na mesma proporção, a média de 48,1 não tinha acesso ao abastecimento de água pela rede geral, somando 4,2% da população.

Outro dado destacado é a ausência de esgotamento sanitário e rede coletora pluvial. No Acre, a cada mil pessoas 68,4 informaram que não tinham esgoto.

Distribuição de renda por raça

No Acre, 85,3% das pessoas pretas ou pardas estão entre os 10% com menores rendimentos em 2017. Já os brancos representam 14,1% da população com menor rendimento.

Já entre os 10% com maiores rendimentos os brancos representam 31,8%, enquanto os pretos e pardos somam 67,7%. O número é menor que o registrado em 2016, quando os pretos e pardos representavam o valor percentual de 69,9%.

No Acre, 6,1% da população não tem coleta de lixo. Outros 4,2% não tem abastecimento de água — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Plantão 3 de Julho Notícias 19ª Edição

Promotor Ildon Maximiano pede a pena máxima para Aldemir Lopes, Everaldo Gomes, Roney Firmino e os demais réus.

O Promotor do Ministério Público Ildon Maximiano responsável pelas acusações contra os réus no processo de desvio de Milhões na Prefeitura de Brasileia na gestão anterior esteve participando da audiência de instrução que antecede o julgamento dos acusados sendo 16 réus dentre eles estão os ex-prefeitos de Brasiléia, Everaldo Gomes, Aldemir Lopes, o ex-prefeito de Plácido de Castro Roney Firmino, os Vereadores: Joelso Pontes, Marquinhos Tibúrcio, Mário Jorge e mais alguns vereadores da legislatura passada.

Telejornal 3 de Julho Notícias 18ª Edição

Veja nesta edição o que aconteceu durante o final de semana na região do Alto Acre, foram registrados: Homicídios, tentativa de homicídio, apreensão de drogas, arma, munição e prisões; veja também sobre o Concurso público de Plácido de Castro e outros

Por Quésia Melo, G1