Esse é o saldo da reforma administrativa da prefeita Socorro Neri.

Cinco secretarias municipais e 132 cargos comissionados extintos. Esse é o saldo da reforma administrativa da prefeita Socorro Neri (PSB). Não resta dúvida de que a pulação aprova.

Fazendo o dever de casa

Os vereadores compreenderam a necessidade do ajuste para evitar o caos da gestão em um futuro próximo. Os tempos são muito difíceis e nenhum gestor exonera ou demite alguém por pura maldade. Não é isso! Ou a prefeita executa a reforma ou ele terá problemas não TCE e MPE para o resto da vida.

Túnel do tempo

O senador Sérgio Petecão (PSD) sempre foi homem de extrema confiança do então governador Jorge Viana (PT), que o guindou várias vezes para a presidência da Assembleia Legislativa e, ainda, contribuiu decisivamente par sua 1ª eleição de deputado federal. Petecão apoiava Jorge, Jorge ajudava Petecão. A FPA caminhava muito bem porque era via de mão dupla.

A história se repete

Quando o governador Binho Marques foi eleito sucedendo Jorge Viana, Petecão quis fazer uma indicação para a Secretaria de Ação Social. Binho não aceitou com argumento de que seu governo seria técnico e não político. Pois é, deu ao Petecão dois mandatos de senador pela oposição.

Por onde passa um boi…

Petecão foi o primeiro a romper publicamente com a Frente Popular quando ninguém acreditava que o fizesse.

…passa uma boiada

Depois que Petecão saiu da FPA vários políticos também romperam, inclusive, o governador eleito Gladson Cameli que à época deputado federal. Em seguida os demais descontentes com o governo Binho.

Abrir canal do diálogo

O rompimento político entre Gladson e Petecão não é bom para o futuro governo. Petecão ficar em uma trincheira só batendo é muito confortável. Um governo, por melhor que seja, enfrenta muitos desgastes. Gladson deve trilhar o caminho do diálogo assim como fez com o seu vice, major Rocha (PSDB).

Na base do governo

Com dois deputados estaduais e um deputado federal (Jesus Sérgio) o PDT caminha para integrar a base do governo Gladson Cameli (PP). O deputado eleito Luís Tchê está conduzindo as negociações. Porém, no plano federal será oposição a Jair Bolsonaro.

Hay gobierno, no soy contra!

O braço político da Igreja Universal do Reino de Deus, o PRB, também deverá integrar a base de apoio de Jair Bolsonaro com futuro deputado federal, vereador Manoel Marcos. No Acre, com a deputada reeleita, a dra. Juliana.

Três milhões em multas

Por três castanheiras derrubadas e seiscentas hectares de mata destruída o ICMBio aplicou multas no valor estratosféricos de R$ 3 milhões de reais. Segundo o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) esse tipo de multa vai acabar. Para isso ele terá que mudar a legislação ambiental.

É desnecessário

Não há a menor necessidade dos futuros secretários do governo Gladson Cameli fazerem promessas que não vão poder cumprir. Devem começar com os pés no chão sabendo que a escassez de recursos é muito grande.

Alerta vermelho

Rio Branco pode sofrer uma das maiores alagações de sua história. A previsão é do Instituto Nacional. A prefeita Socorro Neri (PSB) já trabalha o plano de contingência para não ser surpreendida.

Alan prefeito

Não é de hoje que se fala na eventual candidatura do deputado federal Alan Rick (DEM) para prefeitura de Rio Branco. Esse é o sonho alimentado por muitos líderes evangélicos da capital. Alan está entre os deputados federais mais votados da capital.

Eleição fragmentada

A eleição para prefeito na capital e no interior tende a ser fragmentada. Além dos partidos que compunham a FPA lançarem candidatos cada um, a oposição será uma colcha de retalhos.

Boa vantagem

Quem é deputado estadual, federal ou Senador, por exemplo, leva vantagem na disputa de prefeito. Não precisa se afastar do cargo e se perder a eleição continua no mandato. O mesmo vale para o governo do Estado em 2022 se Márcio Bittar (MDB) decidir disputar o governo.

Pegando vento

Como a reforma política não acontece, o Movimento Brasil Livre (MBL) deverá iniciar uma campanha nas redes sociais orientando os eleitores a não votarem em candidatos a prefeito ou governador que disputem a reeleição. O segundo mandato tem se revelado cansativo e desastroso para a gestão pública, eleitores, à democracia e os próprios políticos.

Os dirigentes dos movimentos sociais que lutaram contra a extinção da Secretaria de Articulação Comunitária prometem guerra contra os vereadores em 2020.

Falta menos de dois anos para a próxima eleição municipal.

O tempo é veloz e constante.

O poder é efêmero.

A chamada grande imprensa está passando um raio X na vida dos futuros ministros de Bolsonaro.

Não perdoam o desprezo a que foram submetidos pelo capitão presidente.

A imprensa fica, os governos se vão!

A imprensa fica, os políticos também se vão!

O Detran vai estar em boas mãos!

Os gestores que estarão assumindo se preparem para deixarem os cargos responderem uma dezena de processos no TCE e MP.

Faz parte do ritual.

Ossos do ofício.

Plantão 3 de Julho Notícias 19ª Edição

Promotor Ildon Maximiano pede a pena máxima para Aldemir Lopes, Everaldo Gomes, Roney Firmino e os demais réus.

O Promotor do Ministério Público Ildon Maximiano responsável pelas acusações contra os réus no processo de desvio de Milhões na Prefeitura de Brasileia na gestão anterior esteve participando da audiência de instrução que antecede o julgamento dos acusados sendo 16 réus dentre eles estão os ex-prefeitos de Brasiléia, Everaldo Gomes, Aldemir Lopes, o ex-prefeito de Plácido de Castro Roney Firmino, os Vereadores: Joelso Pontes, Marquinhos Tibúrcio, Mário Jorge e mais alguns vereadores da legislatura passada.

Telejornal 3 de Julho Notícias 18ª Edição

Veja nesta edição o que aconteceu durante o final de semana na região do Alto Acre, foram registrados: Homicídios, tentativa de homicídio, apreensão de drogas, arma, munição e prisões; veja também sobre o Concurso público de Plácido de Castro e outros