Eliane Sinhasique já está planejando e trabalhando o sucesso de sua pasta

“O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta”.

Pró ativa

A atual deputada Eliane Sinhasique (MDB) convidada para compor as Secretarias de Pequenos Negócios e Turismo, que serão unificadas no futuro governo é muito proativa. Ela já está planejando e trabalhando o sucesso de sua pasta. Eliane já entrou em contato com os secretários do atual governo para tomar pé da situação e compor sua equipe. Diferentemente de outros que andam reclamando nos bastidores olhando mais para o próprio umbigo do que o interesse da população.

Conter a gula

Partidos que compõem uma aliança precisam conter a gula porque um governante eleito necessita de margem de manobra para formar uma equipe com vistas ao bem comum. O grupo do deputado eleito José Bestene, por exemplo, assume a Secretaria de Saúde, mas compreende que Gladson Cameli tem que contemplar o partido do deputado Nelson Sales com o a Fundação Hospitalar.

Caso Detran

O mesmo se dá em relação ao Detran. O governador eleito tem sua cota de indicação, já que os cargos são de confiança. Os tucanos recuaram da Segurança por entenderem que o órgão, tido como a cereja do bolo, faz parte da mesma estrutura.

Modelo falido

O presidencialismo de coalisão criado no Brasil com a explosão de partidos políticos com assento e representação na Câmara, Senado, Assembleias e Câmaras Municipais é o mais perverso de todos os sistemas. No Acre, por exemplo, a Assembleia Legislativa tem 24 deputados e 17 partidos.

Não governa

Nenhum presidente, governador ou prefeito pode governar com um grande número de partidos em seus calcanhares. Nesse modelo reside a corrupção sistêmica propalada pelo futuro ministro da Justiça, o ex-juiz Sérgio Moro. Se os sistemas eleitoral e político não mudarem nem mesmo Santo Agostinho governaria. É a origem do “toma lá dá cá” ou do “é dando que se recebe”.

Vai precisar

O governador eleito Gladson Cameli (PP) foi a uma catedral em Nova Iorque, onde passa alguns dias com a família. Consta da reportagem que rezou para que governe bem. Na atual conjuntura econômica e política vai precisar de muitas orações e rezas.

Culto ecumênico

Gladson Cameli deveria convidar todos os dirigentes de partidos aliados para um culto ecumênico. Os católicos teriam que se confessar ao bispo, os evangélicos pedirem perdão de joelhos por estarem infringindo o 1º dos sete pecados capitais.

Sem tréguas

O deputado Jenilson Lopes (PC do B) cobrou da tribuna ontem melhorias na cidade de Tarauacá que, segundo ele, está completamente abandonada. É o primeiro sinal de que a campanha eleitoral pela prefeitura já começou.

Como fica?

Numa roda de taxistas, que gostam mais de política do que de uma saborosa baixaria, um deles perguntavas ontem como fica a Frente Popular nas eleições de 2020? Tudo está atrelado ao sucesso da atual equipe de governo. O tempo dirá se os partidos sobreviverão a última avalanche eleitoral. Não há mais cargos para negociações.

Doce de leite

Ex-vereador de Epitaciolândia, que estuda medicina em Cobija, dizia que as lideranças políticas da cidade criticam o prefeito Tião Flores, mas na próxima eleição votam nele. Segundo ele, o Tião tem o que eles gostam, mas só entrega na hora certa. É um doce de leite especial.

Aplicando a lei

Certo estão os tucanos em punir com a expulsão os políticos infiéis de suas fileiras. Os partidos deveriam ser os responsáveis pela moralização da política e não a justiça eleitoral ou o STF. Infelizmente o atual modelo ainda permite que um parlamentar transite livremente por várias siglas.

Boa fama

O fato da prefeita Socorro Neri (PSB) fazer uma reforma administrativa austera enxugando secretarias e demitindo assessores não lhe garante a reeleição. Porém, é necessário em tempos bicudos como esse ajustar a gestão à lei de responsabilidade fiscal. Se ela não ganhar a reeleição ao menos entra para a história com a fama de uma boa gestora.

Não vê o fogo, só a fumaça

Nos processos de corrupção eleitoral não deveria haver segredo de justiça. O povo (senhor eleitor) fica doido para saber quem foi que aprontou nas eleições. Ninguém diz nada, ninguém fala nada e ninguém sabe de nada. Só vê a fumaça. E de longe!

O xerife, não!

Tem gente sugerindo chamar o xerife Walter Prado para compor a Secretaria de Segurança. O delegado Walter Prado atuou em ouro universo de violência. Nunca daria certo. É preciso chamar um jovem delegado experiente e disposto. Os tempos são outros, vai predominar o estilo Bolsonaro e Sérgio Moro de fazer segurança. Se vai dar certo ou não são outros quinhentos.

Um raio não costuma cair no mesmo lugar duas vezes.

O vereador Juruna que trate de mudar a tática de se ocultar nas selvas porque a Justiça não está para brincadeira.

Não vai ficar na dança de rato e sapateado de catita ou, melhor dizendo, brincando e gato e rato.

A fila dos desempregados está aumentando.

Desta vez na prefeitura.

Ex-presidentes de bairros na prefeitura faziam sim um excelente trabalho junto as suas comunidades.

A Secretaria de Articulação Comunitária desempenhava importante trabalho no diálogo do poder municipal com a população.

Vejo algumas críticas ao meu trabalho na área política normal.

Eivadas de inveja e ranço, mas é da natureza humana ainda a ser compreendida.