Morte de criança em Tarauacá pode ter sido causada por sarampo, diz saúde

Sesacre aguarda resultado de exames para confirmar se criança morreu por zika e febre chikungunya ou sarampo. Resultado de exames deve sair em 10 dias.

O Departamento de Vigilância e Saúde Ambiental do Controle de Endemias da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) informou que a morte de uma criança de 1 ano pode ter sido causada por sarampo. Inicialmente a Saúde afirmou que a suspeita era apenas de infecção pelo vírus da zika e febre chikungunya.

A informação foi confirmada pela gerente do departamento, Marília Carvalho. Segundo ela, existe mais essa hipótese de causa morte, mas só pode ser confirmada após o resultado dos exames. A criança morreu no Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul.

A gerente voltou a dizer que os testes rápidos para zika, febre chikungunya e dengue deram negativo. Os exames sorológicos que vão apontar as causas da morte foram encaminhados para o Laboratório Central (Lacen) e devem ficar prontos no prazo de dez dias.

“O estado está fazendo a investigação do óbito. Outra hipótese é a questão do sarampo, mas também a gente precisa seguir um protocolo do Ministério da Saúde para poder fechar a causa do óbito. Já entramos em contato com o município de Tarauacá, que foi a procedência da criança, para as intervenções”, afirmou Marília.

A Saúde orienta que em caso de sentir qualquer dos sintomas das doenças, como febre, dor no corpo e dores de cabeça, a pessoa precisa procurar uma unidade de saúde.

“Não deixe para procurar a unidade básica de saúde somente quando o quadro se agravar. Procure antes para a gente poder ter um acompanhamento melhor e evitar situações mais graves”, concluiu a gerente.

Veja o Vídeo: 3 de Julho Entrevistas

Veja nesta entrevista o Gerente regional do Sebrae, Jorge Saad, explicando as principais ações do Sebrae durante o primeiro semestre e quais foram as principais atividades do Sebrae voltadas para o agronegócio, indústria e comércio, Curta a nossa página do Facebook e se inscreva no nosso canal do YouTube e lembre-se de ativar as notificações clicando no sininho.

Por CBN Amazônia