Ex-prefeitos Randson Almeida e Aldemir Lopes são os condenados por corrupção e serão coordenadores de Campanha de Gladson

Se cogitou um disfarce para que Lopes possa sair de casa para coordenar as reuniões noturnas na região.

“O ex-prefeito Aldemir Lopes provavelmente será o responsável pela coordenação da campanha da oposição no Alto Acre. Lopes tem experiência de muitas campanhas”. 

A revelação seria um simples exercício de informe jornalístico, acerca de bastidores da política, se não trouxesse uma excrescência: Aldemir já foi preso pela Polícia Federal, acusado de fraudar licitações e participar de esquema de corrupção que causou prejuízo milionário aos cofres públicos do município de Brasiléia. Em síntese: foi alcançado pela justiça por roubo do dinheiro público.

Ex-jogador de futebol, quando brilhou em clubes como o Independência, o ex-prefeito de Brasiléia Aldemir Lopes, está utilizando todas as suas habilidades para driblar a Justiça. Lopes será o responsável pela campanha do pré-candidato a governador Gladson Cameli no Vale do Acre, o ex-prefeito faz política ostentando uma imperceptível tornozeleira eletrônica, fruto de condenação judicial por crimes contra a administração pública.

Por conta disso, a campanha de Gladson na região do Alto Acre está comprometida porque seu coordenador está proibido de participar de reuniões públicas e não pode permanecer na rua até altas horas.

Segundo fontes já até se cogitou um disfarce para que Lopes possa sair de casa para coordenar as reuniões noturnas na região. Mas o que o ex-prefeito não consegue disfarçar é o constrangimento da tornozeleira, um artefato incómodos e revelador de um fato escabroso para quem faz politica: o roubo de dinheiro público.

De acordo com a Polícia Federal, mesmo quando já não era mais prefeito, Aldemir Lopes usava seu sucessor, Everaldo Gomes, para liderar uma quadrilha acusada de desviar mais de 5 milhões dos cofres públicos.

Vale do Acre

Por isso, o homem que representa o pré-candidato Gladson Cameli no Vale do Acre, na condição de presidiário tem feito de tudo para tentar passar a imagem de que ambos são honestos e que querem o bem do Acre, mas a tornezeleira mostra que eles não conseguem enganar a ninguém e que, mesmo sendo craques no futebol, é impossível driblar a verdade.

Caso perca as eleições no Vale do Acre, como parece ser o seu destino, a responsabilidade deverá ser atribuída a Aldemir, pelos motivos óbvios.

Vale do Juruá

Já no Vale do Juruá, Gladson Cameli terá no ex-prefeito do município de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), um de seus esteios. Sales é figura carimbada na justiça. Responde a mais de 15 processos – a maioria deles por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. O ex-prefeito chegou mesmo a ser condenado pelo crime de peculato em razão de uso irregular de passagens aéreas quando deputado estadual.

A coisa não para por aí: em Marechal Thaumaturgo, ainda no Vale do Juruá, outro apenado vai coordenar a campanha de Gladson Cameli: o ex-prefeito Randson Almeida, condenado pelo Juízo da 1ª Vara Cível da Comarca de Cruzeiro do Sul por cinco anos, pela prática de atos de improbidade administrativa no período que governava Marechal Thaumaturgo.

Pelo constatado, para coordenar o grupo de gestão política de Cameli em sua cruzada rumo ao governo do Estado, é requisito fundamental a habilidade em afanar o dinheiro público, moldura que representa um verdadeiro tapa na cara da sociedade.

Por vejadetudo.com