Trio que executou compradores de gado é condenado a 86 anos de prisão

Os três envolvidos na morte  dos compradores de gado Fernando  de Oliveira e Jean Carlos foram condenados a 86 anos e 10 meses de prisão.

Prevaleceu a tese de duplo latrocínio – o roubo seguido de morte – e dupla ocultação de cadáver. A decisão é do juiz Daniel Bonfim,  da 2ª Vara Criminal.

Charles Fernandes de Araujo  recebeu a maior sentença: 31 anos 10 meses e 15 dias em regime fechado. Ao analisar a culpabilidade do réu, o magistrado descreveu que Charles é frio e tem conduta altamente reprovável. Durante a ação penal foi comprovado que Charles  foi  o responsável por desferir uma seqüência de golpes com um pedaço de madeira na cabeça  das vitimas, que não podiam esboçar qualquer reação, pois estavam amarradas.

O segundo envolvido, Jessé Oliveira Rodrigues, foi sentenciado a 27 anos 03 meses e 15 dias, também em regime fechado. Na decisão o magistrado relatou que Jessé tem culpabilidade acentuada, pois auxiliou em toda a execução com o propósito de obter lucro fácil, ou seja, roubar o dinheiro das vitimas.

Irades da Silva Barros Filha teve pena fixada em 27 anos e 06 meses de prisão.  Na sentença, o juiz  destacou que a ré foi a responsável por planejar toda a ação criminosa. Irades foi a ultima ser presa. O mandado de prisão foi cumprido em setembro do ano passado.

Ainda na sentença o magistrado determinou que os réus só podem ser beneficiados com a progressão de regime  após cumprirem um 1\6 da pena. Alem disso, foi negado a Charles, Jesse e Irades o direito de recorrer da sentença em liberdade.

Fernando de Oliveira, de 54 anos, e Jean Carlos Almeida, de 42 anos, desapareceram no dia 08 de Junho do ano passado. Eles foram para a estrada do Mutum na intenção de comprar gado, mas acabaram sendo vitimas de uma emboscada armada, segundo a policia, por Irades Barros.

Os amigos foram mortos e enterrados numa cova rasa na propriedade onde Irades morava e onde Jesse e Charles trabalhavam.  Os corpos só foram encontrados quase um mês depois por policiais civis. Os envolvidos no crime roubaram 5 mil reais das vitimas, dinheiro que seria para a compra do gado. Irades terá ainda que pagar as custas processuais. A sentença foi prolatada no ultimo dia 30.

Por acjornal.com