México surpreende e vence a Alemanha por 1 a 0 na estreia do Grupo F

A Alemanha, atual campeã mundial, estreou na Copa do Mundo de 2018 com uma surpreendente derrota para o México.

Apesar das muitas tentativas da equipe de Joachim Löw, Lozano marcou o único gol da partida.

Logo no primeiro minuto, Lozano recebeu um bom passe na área, mas Boateng se atirou na bola e evitou uma finalização perigosa. A resposta alemã veio na sequência: Kimmich lançou Werner, que bateu cruzado e viu a bola passar o lado da trave direita de Ochoa.

O ritmo frenético do início da partida se manteve por boa parte do primeiro tempo. A Alemanha ficava com a maior posse de bola, enquanto o México acelerava em saídas rápidas no contra-ataque.

A grande chance alemã do primeiro tempo foi desperdiçada por Timo Werner. Aos 19 minutos, após um bom Kimmich, o centroavante dominou, tirou o zagueiro do lance e bateu. Mas a bola saiu sem força, para defesa tranquila de Ochoa.

Empurrados pelos gritos de “olé”, o México empolgava a sua torcida no estádio Luzhnik com saídas alucinantes para o contra-ataque, mas que acabaram desperdiçadas por Chicharito, Lozano e Layun.

Até que aos 34, o México, enfim, acertou. Herrera, um dos melhores em campo, desarmou Müller na entrada da sua área. Hector Moreno lançou rapidamente Chicharito, que tabelou com Vela e avançou. O centroavante esperou a passagem de Lozano e tocou para o companheiro. Desta vez, o atacante tomou a decisão certa: driblou Ozil e bateu no canto direito de Neuer, sem chances de defesa, para abrir o placar.

O gol despertou novamente o ímpeto da Alemanha. A equipe de Joachim Löw partiu para o campo de ataque. Mas a grande chance de empatar parou em Ochoa. Kroos cobrou falta da entrada da área. A bola partiu em direção ao ângulo, mas o goleiro mexicano conseguiu o desvio e o travessão evitou a igualdade no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, a Alemanha tentou aumentar a pressão sobre o adversário. A pressão na saída de bola mexicana diminuiu o número de contra-ataques sofridos, mas ainda não resultava em chances claras de gols.

Aos 11, Vela desperdiçou uma oportunidade claríssima de ampliar a vantagem. Os mexicanos partiram com a bola dominada contra apenas um defensor, mas o passe de Chicarito para Vela foi forte demais e a defesa alemã conseguiu afastar o perigo.

Joachim Löw colocou as suas principais opções o setor ofensivo em campo: Reus entrou no lugar de Khedira, Mario Gomez na vaga de Plattendardt e Brandt substituiu Timo Werner. Em uma bicicleta entre os zagueiros mexicanos, Kimmich fez os torcedores se erguerem das cadeiras. Mas a bola passou por cima do gol de Ochoa.

O México seguia perigoso no contra-ataque, mas o domínio alemão crescia a cada minuto. Juan Carlos Osório , ex-técnico do São Paulo, colocou o experiente defensor Rafa Márquez em campo para tentar conter as investidas do rival.

Com uma linha de cinco defensores, e outros quatro jogadores protegendo a entrada da área, o México resistia aos ataques alemães. Chicharito brigava sozinho contra os zagueiros alemães, mas os contra-ataques não ameaçaram o gol de Neuer. Aos 43, após bate e rebate na área, Brandt aproveitou um rebote e chutou com força. A bola bateu na trave e saiu. Para desespero dos alemães e êxtase dos mexicanos.

Fonte: web