“Muitos estão voltando para a lenha e para o carvão”, lamentou Jorge Viana durante pronunciamento no Senado Federal.

O senador acreano Jorge Viana (PT), se  pronunciou no Senado Federal, em Brasília,  sobre a política econômica do governo federal em relação aos sucessivos aumentos no preço dos combustíveis e derivados de petróleo no país.

Para o petista, o Brasil assiste aos protestos dos caminhoneiros ,contra os abusivos aumentos do preço dos combustíveis, e o silencio pela mídia nacional “é ensurdecedor”.

Jorge Viana culpou a equipe econômica de Michel Temer e disse que no Acre, a situação é ainda mais crítica quando, em municípios mais distantes, como Santa Rosa do Purus, o litro da gasolina chega a custar R$ 10 reais e a botija do gás de cozinha até R$ 250.

“Há tempos tenho denunciado o governo federal pelos constantes aumentos da gasolina, óleo diesel e especialmente, o gás de cozinha. As pessoas estão viajando menos, consumindo menos, gastando suas economias por conta da política econômica do governo Temer”, declarou.

“A ficha está caindo. Não sei como alguns ainda têm coragem de defender essas medidas. E no nosso Acre a situação é crítica: a gasolina mais cara do Brasil, o gás de cozinha custando mais de 120 reais no interior, o absurdo de até 250 reais nos altos rios. Muitos estão voltando para a lenha e para o carvão”, lamentou Viana.

Confira o pronunciamento de Jorge Viana clicando Aqui.

Telejornal 3 de Julho 11ª Edição

Veja nesta Edição: Jogador Valder Melo mais conhecido por cabeção do time Revolução Clube fez o gol mais bonito até o momento do Campeonato Regiçaneo Moura de Brito; Abertura dos Jogos Escolares 2018 em Brasileia tem início no Ginásio poliesportivo Eduardo Lopes Pessoa, Ministério Público vai apurar supostas irregularidades na aquisição de merenda escolar em Epitaciolândia,Policia Militar de Assis Brasil prende quatro indivíduos acusado de tráfico de entorpecente com emprego de arma de fogo para resguardar a boca de fumo e outras, curta a nossa página do Facebook e inscreva-se no nosso canal do YouTube.

Salomão Matos / contilnet.com