Vídeo: Armados, jagunços aterrorizam famílias em terra pública

Representantes das famílias vieram em Rio Branco pedir, nesta quarta-feira, a intervenção do secretário Nilson Mourão.

Por Assem Neto / acjornal

Jagunços armados com pistolas, espingardas e usando colete balístico aterrorizam famílias de posseiros no Seringal Novo Andirá, na divisa do Acre com o Amazonas, dentro do município de Porto acre. Os pistoleiros estariam a serviço de um  médico que também é coronel do Exército aposentado e tem contrato com o Estado do Acre. O médico reivindica a propriedade do seringal que já foi arrecadado pelo Incra, através da Ouvidoria do instituto sediado no Sul de Lábrea (AM).

Com a arrecadação, as terras estão prontas para serem regularizadas e as famílias que ali residem há vários têm o direito de posse, como observou a Superintendência do Incra em Boca do Acre (AM).

Representantes das famílias vieram em Rio Branco pedir, nesta quarta-feira, a intervenção do secretário Nilson Mourão (Direitos Humanos) e da Promotoria de Conflitos Agrários do Ministério Público. Eles tentam obter uma ordem judicial para retirar os jagunços do seringal e, assim, evitar um conflito com os posseiros. “Há o risco de chacina”, disse o ex-diretor de Conflitos Agrários da Fetacre (Federação dos Trabalhadores Rurais do Acre).

A presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Rosana Nascimento, foi orientada a seguir para a região em conflito somente quando houver uma ordem da justiça para retirar os jagunços. A sindicalista passou a manhã empenhada em sensibilizar as autoridades para que haja uma intervenção de estado.

Humilhante

Os jagunços chegaram no seringal na tarde desta terça-feira, sem ordem judicial. De imediato, expulsaram as famílias de suas casas e jogaram pertences pessoais no eixo da estrada. As famílias exigem que os jagunços apresentem uma ordem da justiça. O clima é tenso e há crianças e idosos sob ameaças. Eles foram comunicados que devem deixar as terras até esta quinta-feira. Um vídeo que o acjornal publica com exclusividade (veja abaixo) foi gravado por um posseiro.

Documento frio

O Incra no Amazonas não reconhece Arnaldo Thomas como proprietário da área em questão. O registro foi feito pelo médico na cidade de Senador Guiomard e depois transferido para Rio Branco. O documento é considerado ilegítimo e foi lavrado, em 1999, por uma juíza acusada na CPI da Grilagem de Terras do Congresso Nacional pela emissão de documentos públicos falsos. À época, a irregularidade nos cartórios de registros públicos do Acre favoreceu vários fazendeiros na divisa da Linha Cunha Gomes. A magistrada foi aposentada compulsoriamente.

Telejornal 3 de Julho 10ª Edição

Veja nesta edição: Médico do município de Brasileia vai a óbito após sofrer um acidente em São Paulo; Marcha Para Jesus leva multidão às ruas de Rio Branco; Prefeitura de Brasileia realiza festa do Dia das Mães ; Município de Epitaciolândia cedia a 4ª edição do movimento viver ciência; Operação apreende quatro traficantes em Epitaciolândia; Prefeita Fernanda Hassem participa de reunião com Ministro da Educação; Excesso de velocidade resulta em acidente na Marinho Montes, em Brasileia; Em menos de 12 horas 4 jovens foram executados em Rio Branco; Trabalhador luta com 4 criminosos e funcionários da limpeza são quem atende na recepção do hospital de Brasileia, curta a nossa Página do Facebook e se inscreva no nosso canal do YouTube.