Coluna do Crica

Um nome acima de qualquer suspeita

É bom para os mais jovens saber que na turma da antiga era difícil você ouvir falar em assalto ao patrimônio público. Uma das figuras políticas mais corretas que conheci se chamava Jorge Kalume, foi deputado federal, senador e prefeito de Rio Branco. Não entro no mérito que de era um simpatizante da ditadura militar. Entro no mérito do seu lado moral. Kalume (foto) era um político que se podia dizer acima de qualquer suspeita. Com ele era tudo certinho, dentro da lei. Vi chegar várias vezes na Câmara Municipal de Rio Branco, quando ele era prefeito, e eu como jornalista, pedidos de autorização para doar carradas de areia e barro. Virava piada, mas era seu jeito. Quem votava no Kalume não esperasse da sua parte nenhuma facilidade quando chegasse ao poder. Foi incorruptível! Conversador, bom contador de piadas, ele era alvo também de muitas piadas. Uma delas era de que o “Turco”, como também era conhecido, batia continência para quem visse fardado, até para os guardas da SUCAM. É sua a frase de que, no Acre, pesquisa antes de 24 horas, não tem valor algum. Arenista ferrenho, a sua maior derrota foi para governador, quando era apontado como favorito e perdeu para o peemedebista Nabor Junior, que entrou na eleição como azarão, boi morto. De tudo o que se pode dizer do Kalume é que ele era um homem de bem. E de conduta extremamente exemplar. Não interessa seu viés ideológico. Conheço muita gente da chamada esquerda sem pudor moral. Jorge Kalume merece, pois, reverência. E o nome a ser sempre relembrado.

ACIMA DO ESPERADO

Quem conversou em Cruzeiro do Sul com o candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), diz estar alegre com a acolhida que tem recebido nas visitas, nas reuniões, com lideranças locais. Tem comentado que a receptividade está além do esperado, por ser uma conversa inicial.

COFRES ABORROTADOS

Um dos municípios mais pobres do Acre, como Mâncio Lima, com tantas carências no município, o prefeito Isac Lima (PT), trazer um cantor por 40 mil reais é fazer pouco caso, por exemplo, do homem do campo, que está sem ramais conservados para escoar a produção.

MÃO NO BOLSO

O usuário do transporte coletivo pode se preparar que vai vir mão no bolso. Quando o RBTRANS anuncia que recebeu pedido de aumento da passagem de ônibus pode se preparar que será concedido. Sempre atendem os empresários. Mesmo que continuem a prestar um serviço de baixa qualidade para a população. A população  não ganha uma neste embate.

ESQUEMA PESADO

O ex-diretor do DETRAN, Pedro Longo, segundo boas fontes, conseguiu formar um grupo bem articulado no apoio à sua candidatura a deputado estadual em um reduto difícil para candidato de fora, Cruzeiro do Sul. A sua reunião para o Marcus Alexandre foi a que mais arregimentou.

COM BONS OLHOS

Pedro Longo é um Juiz aposentado, fez um bom trabalho no DETRAN, e só o fato de ter curso superior já olho com bons olhos qualquer candidatura. Tem que se colocar no parlamento pessoas preparadas. Para não vir o arrependimento. Vejo a atividade política desta maneira.

FEIJÃO COM ARROZ SEM SAL

A tônica de qualquer comentário que se ouve sobre a administração do prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT), é de que se arrasta sem nenhuma inovação, no mero feijão com arroz. E sem sal. Não há uma obra impactante na cidade. Não há de que reclamar, o governo é do seu partido. Nada que possa ser apontado como inovador. Ainda tem tempo de se recuperar.

SOLUÇÃO PARA TUDO

A questão é que durante a campanha os candidatos a prefeito têm solução para tudo.

DISCUSSÃO IDIOTA

Trava-se uma discussão idiota entre grupos prós e contra o “Estatuto da Família”, porque a aprovação do projeto não vai impactar em nada a vida de casais, sejam homossexuais ou não. A matéria já é regulada em decisões judiciais. Cada um dispõe o corpo como bem entender.

ATÉ JOGO DE DOMINÓ

No Acre, até jogo de dominó e brincadeira de roda se transforma em pendengas políticas.

POLÍTICA É CONTRAPARTIDA

Quando se integra um grupo político é porque concorda com suas decisões. Ou então se fica independente. A prefeita Socorro Nery precisa ter uma conversa com a sua base política, porque seus integrantes têm espaços na PMRB. Derrubar seu veto soou uma deslealdade.

É MUITO SIMPLES

Pode se argumentar que um vereador não tem que estar atrelado a um prefeito e tem que ter posições próprias. Também acho e defendo esta posição. Mas para isso não pode ter afilhado, afilhada, curió, papagaio, sogra, em cargos de confiança da PMRB. Porque vira refém. Ou não?

NÃO SABEM NEM QUE EXISTEM

Vez por outra vejo pessoas trocando ofensas pessoais nas redes sociais por este ou aquele candidato a governador, como se política fosse a prática do genocídio moral. O candidato se elege, chega ao poder, e não dá a mínima bola por quem se esgoelou por ele. Menos, gente!

COMO DIZ O MARTINELO

Como diz um dos papas do jornalismo acreano, o respeitado jornalista Silvio Martinello: “política não se faz furando o olho do adversário”. Pena, que só se faz política assim.

NÃO DEIXEM NEY FORA DO JOGO

Nas suas avaliações não deixem o Ney Amorim (PT) fora do jogo. É extremamente habilidoso e uma fera na campanha. Não conheço uma eleição ao Senado mais embolada que a deste ano.

CHANCES REAIS

Há pelo menos quatro nomes com chances reais e em igualdade de condições para conquistar as duas vagas em disputa para o Senado. É uma eleição a ser ganha nos pequenos detalhes. Levam vantagem os que já são mais conhecidos da população. Mas é um quadro indefinido.

MENINOS, EU VI!

Conversava ontem com um amigo sobre o governo Orleir Cameli. E chegamos à mesma conclusão de que do governo do Wanderley Dantas até o atual governador, nenhum governante acreano foi tão achincalhado pela mídia, pelos políticos, do que ele. Forjaram dezenas de fatos negativos, crimes, contra a sua pessoa, sem base alguma, só para virar processos, tudo sob o comando, principalmente, de deputados e senadores do PT e PMDB. Chegou a ficar com um único deputado federal ao seu lado, o Osmir Lima. Políticos do PMDB e PT chegaram até a procurar o então Ministro da Justiça, Nelson Jobim, para pedir intervenção federal, no Acre. Falo do governo do Orleir Cameli e o que sofreu com PHD, porque, meninos, em vi! Saiu da gestão abandonado e um homem detonado fisicamente e moralmente pelos detratores. Não julguem o governador Orleir Cameli pelos processos ou o escrito a seu respeito. É Fake News!