Em dezembro, as empresas da familiar Cameli teriam recebido R$23 milhões, o maior pagamento efetuado pelo governo Amazonino Mendes em 2017.

Uma reportagem publicada neste sábado, 21, no portal de notícias amazonense D 24 AM expôs aquilo que pode ser uma possível ‘relação privilegiada’ entre as empresas da família Cameli e o governo de Amazonino Mendes.

Segundo a matéria, as empresas da família Cameli teriam recebido cerca de R$58 milhões em pagamentos entre os meses de novembro de 2017 e março de 2018 do governo de Amazonino Mendes.

São citadas as empresas ETAM, Amazônida e Colorado na matéria. Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência da SEFAZ/AM e correspondem a mais da metade dos pagamentos efetuados pelo governo desde o ano passado.

Em dezembro, as empresas teriam recebido R$23 milhões, o maior pagamento efetuado pelo governo em 2017.

Amizade de longa data

A reportagem explora o que seria uma ‘amizade de longa data’ entre Amazonino e a família Cameli, que teria começado em 1977. Segundo dados do TCE, a empresa Marmoud Cameli seria a segunda empresa que mais se beneficiou no estado com obras sem licitação.

Em 1995, durante o segundo governo de Amazonino a empresa teria recebido quase R$17 milhões em obras não licitadas.

Repúdio popular

Em Manaus, as críticas aquilo que pode ser considerado uma relação privilegiada é alvo de repúdio popular. Os comentários de leitores do site apontam que em Manaus, a empresa de Eládio Cameli seria a única a vencer as licitações, sem concorrência. Os leitores pedem maior investigação por parte do MP.

O governo do Amazonas, por meio de sua secretaria de comunicação emitiu nota afirmando que as obras passam por licitação e negando qualquer relação de amizade com a família Cameli.

Veja o vídeo: