Os peemedebistas teriam colocado à mesa a intenção da legenda de lançar candidatura ao governo, mas Ulisses desconsiderou a hipótese de ser vice. 

“Em nenhum momento eu me iludi. Eu sabia que era blefe”, relatou o coronel Ulisses, pré-candidato a governador sobre o almoço na casa da deputada Eliane Sinhasique, na última sexta-feira.

Do encontro participaram, além da deputada, dirigentes como João Correia, e serviu para sondar Ulisses sobre um “possível” rompimento do PMDB com o senador.

“Eles colocaram tudo no campo da possibilidade. Em nenhum momento ficou claro que haviam rompido com o outro lado. Fui lá por respeito. Eu cheguei praticamente sozinho a 14% de aceitação. Com a ajuda do povo, chegaremos ao segundo turno”, disse o coronel.

Fontes ouvidas pela reportagem disseram que Ulisses foi questionado sobre o que ele faria se acontecesse uma reviravolta na aliança do PMDB com Gladson Cameli. 

O militar, evangélico, tratou a “volta” do PMDB à aliança com o PP como algo natural, “coisa da política”. No entanto, observou que “as famílias de bem do Acre saberão fazer sua escolha no momento certo”.

Fonte: acjornal.com