Educadores da rede municipal de Assis Brasil se reuniram com o promotor do Ministério Publico. Professora Sônia Maria esteve representando os sócios do SINTEAC.

No auditório do prédio da justiça de Assis Brasil o promotor, Dr. Aurê Ribeiro Neto, atendeu ao pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTEAC) para ouvir a categoria que vem sofrendo descaso e desrespeito por parte da prefeitura.

Num clima de conversa, os professores mostraram a real situação das escolas, as condições mínimas de trabalho, a lentidão na contratação e pagamento de pessoal, a falta do transporte escolar, a falta de merenda e outros que impedem diretamente o início das aulas neste dia 05 de março.

A classe manifestou-se repudiando a falta de concurso e o excesso de seletivos que se arrastam por mais de 5 anos como prática da prefeitura e o único que ocorreu em 2014 a justiça impediu a contratação dos aprovados, porém condenou a prefeitura a realizar outro concurso com os mesmos inscritos, mas o que viram foi um festival de seletivos. Neste caso, o promotor explicou que o processo obedece a trâmites legais de prazo e nestes próximos 120 dias deve acontecer o novo concurso de acordo como indicado pelos desembargadores.

A causa ganha em 2015 pela implantação do Piso para profissionais de educação já passaram-se 02 anos e a prefeitura ao invés de corrigir, fez foi proibir todo e qualquer reajuste a partir de janeiro de 2018. O promotor manifestou-se informando a todos de que nos próximos dias a prefeitura vai ser notificada da decisão e não existe outro caminho a não ser EXECUTAR a atualização do Piso que acumula perdas de cerca de 40%.

Um caso pontual tratado também foi sobre a nomeação direta de uma candidata para assumir a direção da escola Vicente Bessa, alegando falta de curso de formação para diretores.

A classe entendeu como uma manobra política com favorecimento direto e um desrespeito á lei de gestão, pois o curso em questão nunca foi oferecido pela secretaria. O promotor também manifestou dizendo que irá pedir exoneração da portaria e vai orientar para que a secretaria realize a eleição de acordo com a lei.

O que mais foi debatido foi a necessidade de implantação do PORTAL da TRASNPARÊNCIA, pois a falta de informações impedem o exercício da cidadania. Não se sabe nada dos atos da prefeitura em tempo real e as pessoas têm dificuldades de denunciar por falta de evidências.

Hoje não sabe muito sobre os gastos da prefeitura e isso favorece e protegem para que aconteça aluguéis desnecessários, a superlotação da folha de pagamento, os gastos com novas secretarias. A dificuldade atinge a todos e o clamor pelo Portal no lugar de jornais e sites tendenciosos foi o maior pedido dos presentes.

A professora Sônia Maria Araújo Bessa, representando os sócios do SINTEAC, a vereadora Ivelina Marques, diretores de escolas e demais presentes sentiram-se contemplados com a disponibilidade e a sensibilidade do Promotor Dr. Aurê, pois além de dar atenção à classe mostrou que o Ministério Público vem desempenhando o papel de corrigir as disparidades e injustiças na aplicação dos recursos públicos em Assis Brasil.