Se o bom trabalho que o secretario Glenílson, O Nil, fez no governo desde 2011 se traduzir em votos, terá chances de se eleger deputado estadual. No Iteracre, por exemplo, legalizou áreas entregando milhares de títulos.

Se o PSDB faz um ou dois deputados estaduais a razão está com o presidente do partido e não com o ex-presidente da juventude tucana, Renê fontes.

Queria que fizesse quantos?

O PSDB, ao que consta, terá chapa própria para deputado.

A ideologia que se exploda, quem entra no jogo quer ter um mandato a qualquer custo.

Só que, a partir de 2020, as regras eleitorais serão outras.

Os partidos políticos devem ganhar força em detrimento dos que querem apenas um mandato.

A próxima será a última eleição com coligação proporcional, ou seja, acabou a ferra.

Macunaíma pergunta:

É fazer justiça tirar uma pessoa de uma palafita na beira do rio e levá-la para um conjunto habitacional estruturado com água, energia, esgotamento sanitário, água aquecida, pavimentação, escola, posto de saúde, delegacia, igreja, ou seja, “uma vida mais digna”?

Diz mais:

A pessoa gosta de morar na palafita, esse é o seu mundo, sua alegria? Sua felicidade é defecar no mato ouvindo o canto dos pássaros e o zumbido do mangangá, é justo tirá-la do seu habitat natural?

Resposta pro Macunaíma:

Vai perguntar pra Deus!

Hoje é dia!

Outra pergunta que chega via e-mail pro Macuna…

Qual a diferença do fuso horário entre A Cidade do Povo e Rio Branco?

Vai perguntar para a senhora sua mãe.

Respostas cretinas para perguntas imbecis!

O prefeito de Senador Guiomard, André Maia, é ambidestro (para ser educado).

No popular mesmo seria “um político pau de dois bicos”.

“Ninguém serve a dois senhores”.

Ou estar com Marcus ou Gladson!

Regra elementar da política: tem que ter lado.

O político que não tem lado e quer agradar a todo mundo acaba ficando sem crédito com ambos os lados.

Ou “n’s” lados, se for o caso.

“Não é próprio das autoridades beberem vinho nem bebida forte; deixai beber os amargurados de espírito para que se esqueçam de sua dor, miséria, tristeza e pobreza”.

Quem disse isso foi a mãe do rei Lamuel, registrado no livro de Provérbios.

Segundo ela, um rei, governante, senador, deputado, prefeito, vereador, ministros, secretários não podem encher a timba de álcool porque pervertem o direitos dos pobres.

Faz sentido!

Como alguém vai governar calibrado?!

Toda semana o Macunaíma toma um porre, mas ele é eleitor.

Fica bem, viu!