Maternidade inaugura espaço exclusivo para coleta de leite materno

A Maternidade Bárbara Heliodora inaugurou nesta terça-feira, 9, a sala de coleta de leite materno.

Aconchegante, climatizado e mais acolhedor, o novo espaço, com suporte necessário para receber as mães que possuem bebês internados na unidade, é fruto da parceria com o Rotary Club Rio Branco – Penápolis, que doou as poltronas e pintura do local.

“O novo espaço é uma conquista para a maternidade, que vai gerar mais conforto e acolhimento às mães durante a extração do leite materno. Quando a gente melhora o ambiente, melhora também o incentivo à amamentação e doação do leite materno. Estamos felizes com a parceria do Rotary, que proporcionou este novo ambiente”, destaca Serlene Gonçalves, diretora da Maternidade Bárbara Heliodora.

Com uma história de mais de 20 anos de promoção da doação do leite materno, orientação e incentivo ao aleitamento e atendimento aos bebês prematuros e de baixo peso que nascem na Maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco, o Banco de Leite da unidade agora terá um suporte maior dentro da instituição com a nova sala de coleta, conforme anunciou o coordenador do Banco de Leite, Hélio Pinto, durante a inauguração.

“Oferecer um local mais humanizado e melhor estruturado é o mínimo que podemos fazer em agradecimento as mães que doam seu leite em favor da vida e bem-estar de outros bebês. Neste ambiente mais confortável, também estamos incentivando a amamentação e uma melhor coleta do leite materno que  vai ajudar a atender a nossa demanda ”, ressalta Pinto.

A Sala de Coleta do Banco de Leite conta com a parceria do Rotary Club de Rio Branco – Penápolis, que destinou parte da verba do último Baile do Havaí para aquisição das poltronas e decoração do espaço. “O Rotary tem como meta fazer o bem sem olhar a quem, e a amamentação e o acesso ao leite materno é uma das nossas ações prioritárias”, afirma a presidente do Rotary Club de Rio Branco – Penápolis, Elaine Ruz.

A jovem mãe Letícia Alencar, de 21 anos, é doadora de leite materno. Ela lembra que antes a sala para coleta de leite era improvisada e não oferecia conforto às mães durante a ordenha. “A salinha era pequena, e a gente ficava sentada em cadeiras de plástico sem nenhum conforto”, lembra.

Com a filha desde novembro no alojamento Canguru, após um parto prematuro durante a 28ª semana de gravidez, ela fala da importância da amamentação e do novo espaço. “Minha filha nasceu pesando apenas 1,1 kg, e graças ao leite materno está tendo uma recuperação saudável. Fiquei muito feliz com a nova sala de extração de leite, pois é bem mais confortável do que a antiga”, conta Letícia.

Durante o ano de 2017, a equipe do Banco de Leite realizou mais de 11 mil atendimentos. 760 mães se tornaram doadoras de leite materno. De janeiro a dezembro foram coletados 437 litros de leite humano, sendo distribuídos 406 litros. No total, 566 bebês foram beneficiados com a doação de leite materno no ano passado.