Acre consolidou ainda mais sua política de transplantes de órgãos ao longo do ano. Só em 2017, governo do Acre empossou mais de mil novos servidores na saúde. Governo do Acre entregou novas ambulâncias para o Samu em 2017.

Mesmo com a crise econômica e política que se alastrou pelo país a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) encerra o ano fazendo um balanço positivo das ações realizadas em 2017 na área da saúde pelo governo acreano.

Durante o ano, o estado perdeu muitos recursos, com cortes de cerca de R$ 300 milhões do governo federal. Em contrapartida, o Acre entre 2015 e 2016 trouxe investimentos de mais de R$ 62 milhões para a saúde. “Um custo que paralelamente tem que andar junto com a nova prestação de serviço. A Secretaria de Saúde, entre 2016/2017, foi o período que mais utilizou recursos de portarias. Saímos de uma média de 45 a 50 milhões para 100 milhões de reais. Isso é o resultado de união e dedicação de toda equipe que contribuiu com os avanços da saúde em todas as unidades”, destaca o gestor da pasta Gemil Júnior.

O ano de 2017 se encerra com o reforço de mais de mil servidores públicos convocados para atuar só na área da saúde, admitidos por concurso público.

No último dia útil de dezembro, 28, mais uma leva de profissionais da saúde foram convocados.

Ao todo, 128 servidores, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos e técnicos, serão contratados para fortalecer o quadro de efetivos dentro das unidades de saúde. O acréscimo desses profissionais no quadro de efetivos do Estado deve impactar em R$ 708 mil na folha de pagamento.

Redução das internações

Em 2011, o Acre registrava em seu Hospital das Clínicas (HC) o total de 9.010 internações ao longo do ano. A política de fortalecimento da saúde preventiva aliada a outros serviços públicos possibilitaram uma tendência de queda. Em 2015, este número caiu para 8.172.

Com os investimentos em saneamento básico, mais água tratada, coleta e destinação correta do esgoto – impulsionados pelo programa Ruas do Povo -, além do fortalecimento da política de atenção primária, com a inauguração de diversas unidades de saúde na capital, tanto básicas (UBS) quanto de Pronto Atendimento (UPA), o Acre conseguiu reduzir ainda mais a quantidade de internações.

Neste ano, até novembro, foram registrados apenas 6.441 casos de internação no Hospital das Clínicas.

Transplantes

A priorização na política pública de transplantes fizeram com que o Acre se consolidasse como um dos estados do país que, proporcionalmente, mais realiza transplantes de fígado. O estado é também o único da Região Norte que realiza essa complexa cirurgia. “Estamos caminhando para nos tornamos o primeiro estado do país em transplantes. Isso é um avanço, estamos falando do Acre, onde muitos não acreditavam que seria capaz de realizar uma cirurgia desse porte”, pontua Gemil.

Em dezembro, entre muitas ações positivas para concluir o ano, se destaca a entrega de mais de R$1 milhão em equipamentos e a reforma da cozinha do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), além da assinatura da ordem de serviço para finalizar a ampliação da unidade, o que representa R$20,8 milhões em investimentos.

“Em 2018 não temos dúvidas que para a Secretaria de Saúde vai ser um ano muito promissor, com entrega de obras, entrega de equipamentos, entre tantas outras ações que já estamos nos reunindo com gestores e planejamento para por em andamento”, finaliza Gemil Júnior.