Cota de alerta atual é de 13,50 metros, informou o Major Cláudio Falcão, do Corpo de Bombeiros do Acre.

Na manhã desta quinta-feira (28), houve uma singela diminuição de 19 centímetros, com marcação em 11,55 na capital Rio Branco.

Resultado direto das fortes e constantes chuvas que caem sobre o estado do Acre nas últimas semanas, o nível do rio Acre cresceu rapidamente no mês de dezembro. Em 30 horas, o nível aumentou 3,30 metros.

De acordo com informações repassadas à imprensa pelo Major Cláudio Falcão, do Corpo de Bombeiros do Acre, a medição registrou na última quarta-feira 11,74 metros. Na manhã desta quinta-feira (28), houve uma singela diminuição de 19 centímetros, com marcação em 11,55 na capital Rio Branco.

“O aumento dos números é consequência direta das chuvas. O esperado para dezembro deste ano era um aumento de 249mm, e já estamos com 440mm de chuva só neste mês. Com a medição de hoje, basta que o rio aumente 1,95 metro para entrar na cota de alerta”, explicou Falcão.

O Major também reforçou que as equipes ligadas à segurança pública já estão se preparando caso o rio entre na medição de 13,50 metros (cota de alerta), e que o monitoramento é constante. Os principais afluentes do Rio Acre (rios Xapuri, Espalha e Riozinho do Rola) também possuem registros de nível elevados. O prefeito Marcus Alexandre lançou nesta quarta-feira, 27, o Plano de Contingência Contra Enchentes 2018.

Níveis do Rio Acre e afluentes (registro de 28 de dezembro às 6h):

Rio Branco – 11,55

Riozinho do Rola – 9,15

Rio Xapuri – 7,34

Xapuri – 7,25

Capixaba – 6,83

Brasileia – 6,10

Espalha – 5,92

Assis Brasil – 4,18

O tempo instável, com chuvas a qualquer hora, que pode, ser instável, segundo Friale, e de acordo com o pesquisador, há possibilidade de alguns transtornos à população.

“Condições atmosféricas altamente favoráveis à ocorrência de chuvas fortes e volumosas”. A previsão é do pesquisador Davi Friale. Para ele, há a possibilidade de transtornos à população de alguns pontos vulneráveis, “como rápida inundação de ruas, transbordamento de pequenos rios e córregos, queda de árvores e deslizamento de terra”.

De acordo com informações divulgadas pelo pesquisador, a elevada umidade do ar deixa o tempo instável, com muitas nuvens e chuvas a qualquer hora, no Acre, em Rondônia, no Amazonas, em Mato Grosso, na Bolívia e na região de selva do Peru.

Em muitas áreas, ele conta que ocorrem temporais com chuvas fortes ou prolongadas, raios e ventanias moderadas.

Para os próximos dias, Acre, Rondônia, Amazonas, Mato Grosso, planícies da Bolívia e região de selva do Peru contam com chuvas fortes e volumosas, que, em algumas áreas, podem ser demoradas, principalmente na parte da tarde ou nas primeiras horas da noite.

Chuvas podem acontecer a qualquer momento (Foto: Reprodução)

Confira como fica a temperatura no interior:

– Rio Branco, Senador Guiomard, Bujari e Porto Acre, mínima, entre 21 e 23ºC, e máxima, entre 27 e 29ºC;

– Sena Madureira e Manuel Urbano, mínima, entre 21 e 23ºC e máxima, entre 27 e 29ºC;

– Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil, Xapuri e Capixaba, mínima, entre 20 e 22ºC, e máxima, entre 26 e 28ºC;

– Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Porto Walter, mínima, entre 22 e 24ºC, e máxima, entre 28 e 30ºC;

– Marechal Thaumaturgo e Jordão, mínima, entre 22 e 24ºC, e máxima, entre 28 e 30ºC;

– Tarauacá, Feijó e Santa Rosa do Purus, mínima, entre 21 e 23ºC, e máxima, entre 28 e 30ºC;

– Acrelândia e Plácido de Castro, mínima, entre 21 e 23ºC, e máxima, entre 28 e 30ºC.

Na região da Vila Nova Aldeia, localidade a 23km do município de Senador Guiomard pela BR-364, foi pega de surpresa na madrugada de ontem quarta-feira (27), quando as águas do rio Iquiri tomaram de conta de quintais, casas e propriedades comerciais na região.

Uma equipe do Corpo de Bombeiro com apoio do secretário de Obras de Senador Guiomard, Nilson Graça deu apoio às famílias locais.

“A equipe da Defesa Civil informou que com a enchente todos os poços de água foram contaminados e aproveitamos para garantir o suporte necessários a população. Providenciamos água e todo apoio de ajudar no que fosse necessário”, explicou Nilson.

Segundo levantamento da Defesa Civil Estadual, mais de 50 famílias compõem a Vila Nova Aldeia que foi tomada pelas águas do Rio Iquiri na madrugada dessa quarta-feira.

No final da tarde de quarta-feira, o nível das águas deu uma leve recuada, mas com mais chuva no decorrer da noite e madrugada as atenções na região por parte da Defesa Civil e secretaria de Obras estão sendo constante.